quinta-feira, julho 31, 2008

Desabafos

Os dias têm passado tão depressa que nem dá tempo para escrever no meu bloguito.... para além do consultório, dos filhos e das emoções sentidas, da família, disto e daquilo, ainda tenho que lidar com a minha introspecção e a redescoberta do meu EU, que é aternadamente esclarecedora e dolorosa, mas sempre cansativa.
E é o fim dum ano difícil e complicado - considero agosto o final duma etapa - porque a todos os níveis - pessoal, afectivo, profissional, etc - foi complexo, trabalhoso e nalguns casos doloroso. Doloroso porque tive contacto com a morte de pessoas muito queridas e que me marcaram muito, nomeadamente e claro que do meu Pai.
Profissional porque foi um ano de pensar no meu futuro, com negociações e tentativa de equacionar devidamente o consultório, que felizmente parecem ter chegado a bom termo. Vamos a ver!
Pessoal porque estou no tal processo de redescoberta, de apagar registos negativos e sobretudo de encontrar o meu EU e a minha verdadeira essência,. Como para isso, é preciso remexer no passado, na infância, na família tem sido doloroso e há ocasiões que me sint muito cansado e perturbado. Mas como os resultados têm sido espectaculares, quero continuar a descobrir-me e sobretudo a conseguir ser o mais possível o meu verdadeiro EU.
Uma das coisas que já percebi é que como está tudo interelacionado, as energias, as pessoas e os acontecimentos, basta um pequeno gesto ou um sorriso ou um cumprimento para modificar alguma coisa em nós e nos outros. É verdade... tenho tido feedbacks fantásticos e sobretudo também uma grande paz interior e uma enorme satisfação.
Se conseguir mudar uma ínfima coisa, já me dou por satisfeito e posso pensar que cumpri uma das minhas funções.
É só experimentar.... um sorriso, um cumprimento, um gesto não custa nada e pode fazer a diferença!

terça-feira, julho 29, 2008

Filhos e Vida

Mais uma semana e de trabalho... e igualmente menos uma semana para ir finalmente de férias !
Tem andado tudo muito rápido e os factos e acontecimentos sucedem-se a uma enorme velocidade, parecendo ( e estando) tudo interrelacionado e de acordo com as energias, emoções e pensamentos que vou tendo e sentindo.
O Francisco está em Londres no seu curso de verão e penso que está a sentir aquilo que eu senti nos primeiros dias dos meus cursos de verão, ou seja, uma desadaptação inicial com um sentimento de solidão e até de medo, se bem que esteja acompanhado com o primo. Mas tenho a certeza de que ele vai gostar e vai tirar bastante proveito destas férias.
E eu sinto tantas saudades dele! E tento passar-lhe muita energia positiva e a minha enorme vontade de que ele aproveite o máximo.
O Pedro acabou ( finalmente ) o curso de marketing e já está de malas feitas para ir para Marbella, por três longos anos. Também sei que ele vai conseguir e ter sucesso, porque o meu filho amadureceu, cresceu e fez-se Homem. E estou bem orgulhoso dele.
Aliás posso orgulhar-me dos filhos que tenho, pela postura e personalidade de cada um, fruto dos pais ( que têm ou escolherem, conforme as filosofias ) e da idiossincracia de cada um , com o enorme potencial que ambos têm de apreender a vida e seguir o seu rumo.
Quanto a mim, continuo na minha vida e na minha terapia, tendo ontem iniciado a interpretação do teste de roschad... interessante, curioso e sobretudo, verdadeiro com o meu Eu, tendo sido uma sessão muito, muito boa, com a percepção de várias emoções escondidas e com a noção de que tenho que reformular inúmeros conceitos errados que tenho na minha cabeça. Aliás já o estou a fazer a algum tempo, porque inconscientemente já tinha a noção desse facto e como parece que tenho um enorme potencial, já tinha iniciado o meu caminho de descoberto e de revelação do meu verdadeiro EU
E mais uma semana... e cada vez mais acredito que um sorriso, um pequeno gesto de boa viontade para o nosso semelhante é o suficiente para alterar o nosso dia e o dos quem nos rodeia. É tão fácil e simples... e daí a mudar o tal grão de areia ainda mais fácil

domingo, julho 27, 2008

Fins de Semana

Os fins de semana são cada vez mais curtos para poder fazer tudo aquilo que preciso e quero. Não sei o que se passa, mas os programas vão-se acumulando e depois não consigo ter um dia de relax e descanso, de perfeito "aboborar" no sofá... nem tenho tido tempo de ler o Expresso, o que é uma raridade!
Agora vou mostrar Sintra ao meu Primo e redescobrir Monserrate, o castelo da Pena e o dos Mouros
Estou no ir

sexta-feira, julho 25, 2008

Chuva

Dia 25 de Julho e chove em Lisboa!
E a cor e o cheiro da chuva transmite-me uma melancolia imensa e uma vontade de passear ao ar livre, a receber os pingos de água na cara e impregnar-me da humidade dessa chuvinha.
Não sei se é da chuva, se do cansaço e vontade de ir de férias, se das saudades dos meus filhos ou ainda fruto da minha terapia, ando muito irritado e pouco tolerante. Qualquer coisa me faz ficar em tensão e, apesar de a ir descarregando ficando descalço e pondo-me em meditação, mesmo assim sinto-me um pouco frenético. Como se o tempo me fugisse e eu não o conseguisse aproveitar para amadurecer e projectar-me am algo novo na minha vida, que eu sei que vai acontecer.
Não sei ainda o que vai ser e como vai ser, mas não me parece que vá estar muitos mais anos apenas a trabalhar como dentista. Sinto que mais alguma coisa, relacionado com psicologia, percepções e afins, irei desenvolver e aprender, de modo a poder ajudar os outros que comigo se relacionam e quem sabe, fazer aquela pequena diferença de que tenho vindo a falar.
Será que irei conseguir mudar algum grão de areia e assim modificar algo do meu mundo ? Espero sinceramente que sim e mesmo no presente, sinto que já estou a apoiar algumas pessoas e a dar-lhes força e animo para prosseguir em frente. Mas quero fazer mais e já estou a ler e a estudar várias coisas no sentido de me perceber a mim e o que me rodeia. E há tanta coisas que a ciência não explica e para as quais tem forçosamente que haver outra explicação.
Cada vez mais sinto que de facto há uma enorme sinergia e energia entre todos nós, os que aqui estamos e convivemos, entre os que conhecemos e nos marcaram e ainda aqueles que ainda haveremos de contactar. Toda essa amálgama de realidades, de gentes, de conhecimentos e de diferentes corpos de dor influenciam o nosso SER e a nossa maneira de estar no mundo e também nós podemos interferir nesse mesmo mundo e nas outras pessoas.
Porque há uma interacção e uma ligação entre tudo e todos. Tudo está imbuído duma energia e especificamente cada um de nós tem a ua energia vital. E temos que saber canalizá-la para o nosso bem estar.
Por vezes, tenho dificuldade - ou não quero - pensar em determinados assuntos, dada a minha formação médica, que me torna um pouco céptico, mas à medida que vou tendo provas de que há outras realidades e outras maneiras de estar, vou-me convertendo lentamente a estas novas (para mim ) leituuras da vida,
Nem tudo é branco, nem preto e no leque infindável de cores, tem que haver várias explicações plausíveis para muitos dos mistérios da vida e da nossa forma de estar neste mundo.
Acredito cada dia que passa, mais nisso, bem como na nossa intervenção no que nos rodeia e nos outros, para mudarmos o tal grão de areia e de grão a grão, mudarmos ainda mais e mais e sentirmo-nos bem e transmitir esse bem estar a todos os que connosco lidam
Façam como eu... neste dia de chuva, meditem e pensem no que podem fazer para se conhecerem melhor e para ajudar o vosso próximo. Basta se calhar um sorriso !!
Um sorriso sentido tem tanta força... que é capaz de derrubar o coração mais duro e mais emperdenido. Tentem que é possível

quinta-feira, julho 24, 2008

Família

Ontem jantar no Peixe na Linha (aliás, restaurante que também recomendo), com o meu primo brasileiro, que praticamente não conhecia, filho mais velho do meu tio Luís, ambos a viver no Brasil.
É um "cara legal" este Luís Marcos, que anda a passear pela Europa, com o seu trabalho, mas também a tocar num grupo.
Houve muitas trocas de notícias de parte a parte, dos meus irmãos e dele, de pessoas presentes e também de muitas, infelizmente, já falecidas.
Mas se nunca tinha tido vontade de ir ao Brasil, agora fiquei entusiasmado com a ideia de lá ir em breve, até para poder estar ainda com o meu Tio, que não vejo há uns anitos.
Como estou a dar cada vez mais importância às histórias de família e à sua envolvência, foi muito e muito agradável.
Foi uma transmissão de energias, memórias e um enriquecimento pessoal.. e este conhecimento pessoal com as influências mutuas vai certamente ter alguns resultados e contribuir também para mudarmos alguma coisita, o tal grão de areia.
Legal, né ??

quarta-feira, julho 23, 2008

Testes e Rorschach

Ontem fiz pela primeira vez um teste de personalidade, que são as manchas de Rorschach... são-nos apresentados dez cartões com manchas ou borrões, para as descrevermos e dizermos o que sentimos e vemos em cada cartão, sem logicamente sabermos o que cada cartão representa. Ou seja, conforme a suapersonalidade, cada pessoa verá algo diferente, seja aquilo que for.
Numa segunda fase, temos que escolher os que gostámos mais e os que detestámos e numa segundo ronda, dissertar sobre esses mesmos cartões. E é nessa segunda ronda que, de facto, vem ao de cima aquilo que efectivamente somos.
Achei super curioso fazer o teste, pelo que foi capaz de falar sobre uma manca, as ilações que ttirei e aquilo que foi vendo e interpretando.
Agora a psicoterapeuta analisa tudo o que dizemos - pois é tudo escrito - e na sessão seguinte vamos interpretar cada cartão e ver o que são e representam para mim, para além da análise da personalidade. Gostei imenso.
Estas sessões estão a fazer-me muito bem,. porque me estou a redescobrir e acho e sinto que fariz bem a toda a gente fazer umas sessões de psicoterapia.
Seriamos certamente mais capazes de fazer o tal pequeno gesto e com esse gesto, mudar um pequeno grão de areia e contribuirmos para a ,melhoria da nossa sociedade e do nosso mundo.
Tenho esperança que consiga mudar algo, por mais infimo que seja

terça-feira, julho 22, 2008

Blogues e Blogues

Constatei que as Mamãs da Madalena, da Mariana, do Diogo e se calhar ainda outras Mamãs - porque na mesma altura nasceram muitos rebentos neste grupo - criaram todas um blogue para contarem as aventuras e as desventuras e as gracinhas e mazelas dos/as filhos/as, bem como a evolução dos seus rebentos e ainda todas as alegrias e preocupações que, como Mães, têm no dia a dia dos seus filhos.
É engraçado ler o que contam, seguir as gracinhas deles, a sua evolução e ainda poder compartilhar tudo isso e partilhar experiências. A blogosfera tem um enorme potencial.
Reparei ainda que são só as Mamãs a escreverem e a criarem blogues dos seus filhotes, porque diga-se o que se dizer, Mãe é Mãe e só há mesmo uma.
A ligação ao Pai e o arquétipo masculino é muito importante para o crescimento da criança e a sua estruturação, mas o elo mais forte , sem dúvida, muito mais forte e potente com a Mãe. Pelos menos nos primeiros tempos e esses laçoes criam-se logo na amamentação...
Por isso, não concordo com a adopção de crianças por casais do mesmo sexo, porque é importante haver o arquétipo feminino e masculino para que haja um crescimento harmonioso e de acordo com a realidade. E isto sem qualquer desprezo, como é mais que evidente, para esses mesmo casais.
Mas adiante.. leiam estes blogues das Mamãs para verem as gracinhas da Madalena, da Mariana e do Diogo. E bem hajam as Mamãs...

domingo, julho 20, 2008

Noite de Domingo....

Chegámos dum fim de semana em Sto André... como sempre, uns dias de relax, descanso e também reflexões várias sobre tudo e mais alguma coisa.
Para além duma praia fantástica - e tomei banhos como há anos que não o fazia - conversas muito interessantes, muitas recordações e ainda a visita a um espaço lindo e perfeitamente integrado, que é o hotel Caminhos de Santiago (www.hotelcaminhosdesantiago.pt) aonde almoçamos.
Adoro a quinta de Sto André, não só pelo espaço em si, mas também e principalmente pelo que ela representou na minha vida e por todas as pessoas que transversalmente atravessaram a minha vida nesse mesmo espaço, para além dos fortes laços de estima e amizade com quem sempre privei em sto andré.
Quando chegámos na 6ª feira, perto das 24.00 horas, ainda fomos tomar banho à piscina, pois estava uma noite excelente e a água com a temperatura certa.
E eis terminado um fim de semana como eu gosto, diferente do trivial, com a vivência e as emoções dum espaço muito querido e ao mesmo tempo a descoberta de novos locais e novas recordações.
Deu também para se descobrir novas facetas das pessoas e a iniciação de introspecções necessárias para se proceder aos desbloqueios que permitam uma vida com mais qualidade. Foi também a percepção dos tais corpos de dor que já falei e que é necessário ter consciência.
E hoje também já deve ter chegado a família Catana das suas férias, a ervilhinha, a Mamã Su - a minha maior apoiante do blogue- e o Pai Rui. Devem ter tido umas excelentes férias e espero ver a Madalena em breve, porque sinto saudades da pequena.
E não esquecer que se tivermos energia positiva, vamos receber também energia positiva e assim mais facilmente conseguimos estar no nosso quotidiano e modificar um pouco este mundo. Transmitir energia positiva, dizer-se a alguém a estima ou Amor que temos por ela ou ainda fazer um pequeno gesto de boa vontade é o suficiente não só para nós próprios nos sentirmos melhor, como principalmente dar ao nosso semelhante e aos que nos rodeiam, motivos para se sentirem melhor. É o tal grão de areia que podemos mudar e assim contribuir para melhorar o nosso mundo,
E também podemos simplesmente SORRIR às pessoas... um simples sorriso sentido, sem palavras, vai certamente influenciar quem se cruza connosco. Eu já experimentei e os resultados são surpreendentes.
Boa semana.
Cuidem-se

quinta-feira, julho 17, 2008

Fait Divers

Há muito que não comento os fait divers do meu quotidiano, aquelas cenas e estórias que fiquei de narrar.
Hoje quando estava a sair do meu ginásio, deparei com duas situações que se podem resumir a uma e que demonstram a falta de respeito que existe no relacionamento entre as pessoas.
A entrada para o estacionamento é feito numa via para a entrada e outra para a saída, mas sem grandes espaços. O que aconteceu é que para entrar estava um carro parado, porque a condutora estava ao telemóvel e como se perde a rede dentro da garagem ,estava sem qualquer pressa na sua conversa, com uma série de carros atrás dela e os que saiam também estavam com alguns problemas de manobra, porque para além de tudo ela estava mal posicionada. E quando lhe chamaram a atenção para o facto, ainda ficou mal disposta, como se os culpados fossem os outros.
De seguida ao sair desse tal acesso, reparei que no sentido oposto, estava outro carro parado, com o condutor fora do carro e debruçado no porta bagagem, de certeza à procura da pen que nos dá acesso ao parque de estacionamento. E os outros carros à espera.
O mínimo que ele deveria ter feito, era ter encostado o carro antes da cancela, procurar a pen e então retomar o caminho.
Mas de facto, neste mundo de salve-se quem puder, é assim que se faz. primeiro nós e depois os outros quando tiver que ser. Achei uma atitude completamente errada, mas é assim que a maioria se relaciona ( ou não ) com os outros, sem qualquer respeito e sem qualquer civilidade.
Outra história do dia foi o facto duma doente minha, que ontem tinha colocado uma prótese e se ter manifestado muito contente, ter telefonado hoje de manhã, para a minha assistente e lhe dizer que tinha cancelado o cheque do pagamento, porque não gostava da prótese.
A senhora fez pelo menos 3 (três) provas da prótese - e o habitual é uma prova - até se considerar satisfeita e só depois mandei aprontar a dita prótese. Esta atitude era inconcebível para mim e ia dar orientações ao advogado para exigir o pagamento, quando a senhora foi ao consultório, pedir muitas desculpas pelo acontecido e dizer-me que tinha anulado a ordem e que o cheque podia ser levantado, mas que o dia lhe tinha corrido muito mal e portanto tinha resolvido ir cancelar o cheque.
Incrível ? mas verdadeiro. É a isto que nós chegámos... ao completo desrespeito pelo próximo e pelo trabalho de cada um. Mais uma vez é o salve-se quem puder, a autêntica lei da selva
E para terminar estes fait divers, ontem precisei de falar com um dos meus gestores de conta ( o qual mudou recentemente, porque o anterior com quem eu trabalhei anos e anos se foi, infeizmente, embora ) e por volta das 10 horas ( DA MANHÃ ) telefonei-lhe e como ele não pude atender-me, pedi para ser contactado o mais rápido possível, tendo-lhe também mandado um mail por causa dum assunto pendente que queria resolvido ontem.
Depois de muitos telefonemas, ameaças e um enervamento enorme, ele telefonou-me as 8 da noite ( 20 horas )!!!! também devo dizer que utilizei algumas das técnicas de relaxamento que tenho aprendido, senão teria sido muito pior para o meu equilíbrio.
Claro que já estava tão farto que apenas lhe disse não estar habituado a ser tratado desta maneira, porque se o banco tem tantos bons clientes como eu, então ainda bem e que eu iria procurar outro banco. Que também iria participar da agência, do gestor e do péssimo funcionamento da agência. O que é facto é que é inadmissível tal procedimento e eu que também lido com o público, nunca faria tal coisa, pois perderia de imediato os meus clientes.
Claro que hoje o gestor foi ao meu consultório, para eu assinar os pápeis necessários e já me contactou de novo para resolver mais outros assuntos. Ainda não sei se vou fazer uma participação ou se vou deixar passar esta questão e dar outra oportunidade.
Cenas e estórias do quatidiano deste nosso (pobre) País.
Agora dois apontamentos positivas.
Hoje depois do meu treino, fui almoçar com o meu treinador a um restaurante novo na praia de carcavelos e reparei que ele estava com uma luminosidade diferente, mais radioso e feliz. Acho que agora começo a ver a aura das pessoas, e a notar diferentes cores no rosto e corpo dos que me rodeiam!!
Depois do jantar, estive ao telefone com a minha irmã mais nova, que estava muito bem disposta e jovial e constatei que ela é das poucas pessoas que conheço, que faz questão de dizer às pessoas que as estima e ama. É algo que me comove sempre ela dizer que gosta muito de mim.
É o exemplo prático do tal pequeno gesto que não custa nada ( aparentemente)... dizer que se ama ou estima alguém e com esse gesto ou palavra conseguir modificar o tal pequeno grão de areia da enorme praia que é o nosso mundo.
Foi um dia de grande amálgama de acontecimentos, emoções e sensações, complementarizada com uma enorme sensação de liberdade por estar a almoçar ao ar livre e a ver o mar. Algo que é muito raro acontecer-me, porque não só não costumo almoçar e ainda menos ao ar livre.
E feliamente que amanhã é 6ª feira e vamos para Sto André...

quarta-feira, julho 16, 2008

Coincidências Estranhas

Há coincidências estranhas e que só se poderão justificar por algum tipo de energia cósmica ou qualquer tipo de percepção especial...
Há uns dois dias, referi a minha estadia em Paris e falei na Harumi, uma namorada da altura- uma rapariga japonesa que também estava no mesmo curso de verão.
Nunca mais soube nada dela, nem aonde estava, nem tão pouco me lembro dela a não ser por a associar ás férias de verão e ter então escrito sobre ela. Mas logicamente que teve muita importância para mim na altura, por ter sido o primeiro namoro mais a sério.
E não é que recebi um postal dela, enviado para a minha morada - e onde vive agora o meu irmão e família ? Segundo parece, a Harumi redescobriu a minha morada e resolveu escrever para saber de mim e para que eu lhe respondesse de volta.
Será possível que ao fim de mais de 30 anos, as pessoas ainda se lembrem umas das outras e tenham estes pequenos gestos ? E ainda para mais tendo eu escrito sobre ela há uns 2 dias ? Segundo a minha "conselheira" espiritual, são as energias cósmicas que andam no ar e que eu captei. Pelos vistos, fui, sou e espero continuar a ser importante para algumas pessoas, marcando-as com a minha personalidade e maneira de ser. Devo ter - ou antes, tenho uma personalidade forte, que "atinge" as pessoas e as faz pensar e recordar-se de mim.
Também aprendi na minha terapia, a ter mais auto estima, a acreditar mais em mim e sobretudo a ver para dentro de mim. Se temos boas características devemos reconhece-las e aceitar.
Estou espantado, porque cada vez mais há destas coincidências na minha vida e por vezes não sei como hei-de lidar com elas, porque o que sinto e o que penso, tornam-se muitas vezes na realidade e numa certeza algum tempo depois. Por isso, as minhas primeiras impressões acerca duma pessoa confirmam-se quase sempre e, é-me fácil caracterizar de imediato uma pessoa.
Também hoje tive essa certeza de ser importante para as pessoas, na medida em que uma amiga me interrogava hoje porque não lhe telefonava, apenas porque tinha havido um mal entendido com uma pessoa comum aos dois. E disse-o sentida e com a certeza da amizade e estima existente entre todos nós. de tal forma que mais tarde lhe telefonei a reiterar a minha estima e amizade.
Mas estou mesmo espantado com tudo isto, porque as minhas percepções estão a tornar-se mais e mais frequentes e nem sempre é fácil viver com isso e sobretudo, adequar essas sensações à minha realidade. Mas na verdade, deixo-me guiar muitas vezes por essas mesmas percepções e na maior parte dos casos, confirmam-se

Temas Fracturantes

Está na moda falar em temas fracturantes e lembrei-me disso ao ler no blogue dos ciprestes algo acerca do aborto e da sua problemática e sobretudo a forma como a filha de 5 anos do autor do blogue encarou a questão que lhe era explicada. Gostei mesmo do que a pequena respondeu e disse e mais uma vez, a verdade pode ser dita por uma criança
Mas não me apetece falar agora em temas fracturantes, porque está muito calor :)
Mais logo quando terminar a jornada de trabalho, logo escreverei o que me vai pela alma e pela mente, sobretudo pela mente, que tem andado bastante activa, na busca da verdade, ou pelo menos, duma realidade mais real ( eu sei que é um pleonasmo!! ) e que me permita viver em plenitude e sobretudo viver com mais e melhor qualidade de vida. Isso é que é importante, aliado ao viver/conviver com aqueles que nos rodeiam ( os que importam realmente e os outros, com os quais também temos que ter algum contacto)
E chegou o verão, pelo que felizmente o ar condicionado do consultório funciona em pleno e nos permite estar a uns meros 22 graus ambiente.

segunda-feira, julho 14, 2008

Força Anímica ( ou falta dela )

Hoje estou num daqueles dias em que estou sem qualquer força anímica, ou seja, sem vontade de coisa alguma, nem de escrever aqui. Mas como tenho que fazer o meu pequeno gesto de boa vontade diário, aqui estou no meu comentário.
E sem força anímica que vou escrever ? Apenas referir que está um calor imenso e que me falta quase um mês para ir de férias.
No entretanto o meu filho Pedro já deverá ter iniciado a nova etapa da sua vida em Marbella e o Francisco terá já frequentado o seu curso de verão em Londres.
Claro que este curso do Fran me lembra os meus cursos de verão em Paris, em que frequentava a Alliance Francaise e passeava o resto do tempo. Na altura era um mês inteirinho, agora reduzido a 15 dias pelas alterações finanaceiras, claro.
Foram momentos muito engraçados, aqueles em que, quase pela primeira vez, fiquei sózinho numa terra estranha e entregue a mim mesmo.. hei-de contar estes cursos de verão. E falar também numa das minhas primeiras namoradas, a Harumi, uma japonesa que também estudava comigo.
E vou refastelar-me no meu sofá e ver muita televisão. ao mesmo tempo que leio os livros acerca da "cura quântica" e o "O novo Mundo" , que me explica agora o Ego e muitos mais coisas, que fazem imenso sentido neste momento para mim
Digam a alguém que a Estimam ou digam ao/à vosso/a companheiro/a que o/a Amam..

domingo, julho 13, 2008

Mais um passeio de Mota

Hoje o meu filho Francisco levou-me num grande passeio, pois fomos até à Bafureira, onde almoçámos à beira mar :)
É fantástico este nosso "novo"relacionamento, que me deixa muito, mas mesmo muito contente, pois parece que nos estamos a redescobrir, na medida em que estamos mais descontraídos, mais soltos e mais á vontadecom um dialógo fluente e interessante.
Há muito que não via o Francisco tão falador, tão bem disposto e tão receptivo ao nosso convívio.
Estou orgulhoso dos filhos que tenho, cada um deles com a sua identidade e idiossincracia, mas ambos bem formados, bem educados, com uma grande sensibilidade e vontade de estabelecer uma relação forte e verdadeira comigo.
Que mais pode pretender um Pai, que conhece as suas limitações e que deseja realmente ter uma relação forte e duradoura com os seus filhos. E felizmente que estou a conseguir criar essa relação.
Gostei muito do passeio de mota, mas gostei principalmente de estar com o meu filhote e de o sentir realmente como ele é.
E o que vi e senti, a sua luminosidade e o seu estar não me podiam ter deixado mais contente e entusiasmado em prosseguir este caminho de aproximação e de um contacto real e bem vivo.
Como disse no jantar dos meus 50 anos: os meus filhos são realmente a minha razão de vida e por eles e com eles quero estar e criar laços ainda mais fortes, vividos e sentidos.
Bem hajam, meus filhos e hoje em particular o meu filho Francisco.
Foi um domingo fantástico.

Saúde e Doenças....

Hoje acordei meio constipado. Com estas variações de temperaturas, em que no mesmo dia passamos do verão para o outono e vice versa, é lógico que haja repercussões no nosso sistema imunitário. E detesto sentir-me assim, porque acho que estou a morrer e sem disposição para nada, a não ser aqui escrever e estar deitado. Não tenho paciência para estar doente - fico muito carente e mal disposto - nem tão pouco gosto de ver pessoas doentes à minha volta. Eu explico: como médico eu tento curar pessoas, mas não gosto de seguir a evolução dessas mesmas pessoas, porque estou habituado a a diagnosticar, medicar, aconselhar e posteriormente confirmar a cura ( espero ! ). E não a seguir passo a passo a evolução da doença e do doente. Estranho.. nada disso. Apenas a constatação duma realidade. Como médicos, temos que aprender a ter um certo distanciamento emotivo das situações com que deparamos, senão não aguentamos sem cairmos numa depressão. Quando estava no meu 4º ano de medicina - que é o primeiro ano em que contactamos com doentes reais - envolvi-me de tal maneira com os doentes que me estavam confiados, que na altura até pôs a hipótese de doar um rim a um deles. Apercebi-me que se ao primeiro doente, já estava a dar um rim, iria chegar ao fim do curso ou morto ou sem uma série de orgãos. E "curei-me", tendo aprendido a distanciar-me, sem nunca perder, felizmente, o contacto humano, nem o afecto que muitas vezes me liga a essas pessoas. Nem tão pouco a dor que sinto ( ou sentia, quando fazia clínica geral) quando não posso, nem consigo resolver grandes dramas humanos com que deparamos tantas vezes.
Mas hoje estou feliz, porque os meus filhos espontaneamente me convidaram para almoçar... nunca tinha acontecido e significa um grande desbloqueio no nosso relacionamento e um melhor entendimento entre nós, o que proporciona a todos uma grande paz e satisfação interior.
Ontem fui almoçar à aldeia do Meco e comi uma cataplana de marisco, que estava estupenda... é super agradável estar numa esplanada sem pressas, nem stresses numa boa companhia e com uma boa comida. Gosto destes programas assim.
E como estará a nossa ervilhinha Madalena ? Não tenho tido nenhum comentário da Mamã Su, mas espero que a crise dentária esteja superada e que não tenha sido preciso ir conhecer os hospitais gregos. Fico à espera de notícias.
E como sempre, escrevo e escrevo, porque tenho, de facto, sempre uma estória ou apontamento a contar... é a experiência de vida e todo o que a ela está associado.
As melhoras :)

sábado, julho 12, 2008

Fotografar a Vida

Agora que queria pôr fotos novas dos meus filhos no meu blogue, cheguei à triste conclusão que não tenho fotografias recentes deles. E por uma razão muito simples que é "detestar" fotografias, máquinas e quejandos...
Prefiro as minhas fotografias mentais, as recordacões e memórias que guardo dos muitos locais aonde já estive e os sentimentos e afinidades das também muitas pessoas que fui conhecendo. Mas tal realidade não impede que, de vez em quando, gostasse de ter umas fotos para dar corpo às minhas imagens mentais.
Cheguei à conclusão - e já é resultado da tal psicoterapia que ando a fazer - que sou uma pessoa interessante e até com charme ( quando estou para aí virado... !! ) e que, já tendo uma razoável experiência de vida, de viagens, leituras, pessoas, realidades distintas, emoções e tudo aquilo que constitui a nossa vida, me permite ter uma conversa agradável e ter sempre qualquer história e conhecimento a partilhar. Tal e qual o meu Pai que tinha um conhecimento enciclopédico.
E neste momento que começo a ter a noção do meu EU real e verdadeiro, separado do tal ego que distorce a realidade, ainda estou mais convencido que tenho potencialidades... e logicamente que não refiro a coisas materiais, a grandes feitos, mas sim à minha essência e à minha capacidade de dar ( e também receber ) aos outros ( e neste momento em especial aos meus filhos ), extraindo daí uma grande satisfação e bem estar.
É importante, extremamente importante saber dar para podermos receber e estar sempre disponível para o que nos rodeia e para as pessoas.
Por isso, relembro o objectivo deste blogue: fazer um pequeno gesto de boa vontade todos os dias e dizer aos que nos rodeiam que os estimamos e amamos.
Assim ao mudarmos pequenos grãos de areia, quem sabe não consigamos ir mudando o que nos rodeia e ajudar outros a redescobrirem-se e tornarem este mundo melhor. Será utopia certamente, mas sem sonhos e ideais nada muda.
Seguramente que é isso que falta a este (pobre ) País... um DESÍGNIO nacional, uma vontade de vencer e um líder carismático para seguir
Bom fim de semana

sexta-feira, julho 11, 2008

Ócio

Hoje falemos de tempos livres e do que podemos fazer para nos distrair um pouco.
Em primeiro lugar, vai começar amanhã no Museu da Electricidade uma exposição acerca da Maria Callas, a grande diva da ópera e na qual se pode também ver a única ópera que ela cantou em Portugal, a Traviata. A não perder !
A propósito de ópera, devo confessar que só começei a gostar de ópera quando uma das vezes que fui a New York ( creio que terá sido em 1982 ou 83 ), tive oportunidade de ir á ópera e vi pela primeira vez, ópera com LEGENDAS. Fiquei completamente apanhado e percebendo finalmente o "enredo" das mesmas. começei a ficar bem entusiasmado. Pela mesma altura, conheci um sujeito que fazia precisamente a legendagem das óperas em Portugal e assim ia ver sempre que as mesmas eram legendadas.
De facto a música pode ser muito bonita - e na maior parte das vezes assim é - mas se não se perceber nada do que cantam, é uma grande "seca". Agora não tenho ido, apenas porque ando muito caseiro...
Mas há algo que me faz sempre sair de casa... bons restaurantes, gourmets e com charme.
No outro dia fui jantar ao OMNIA, em santos, que recomendo vivamente porque tem um menu de degustação que é divino, e que vai mudando periodicamente. Vale bem a pena.
Aproveito para falar em mais dois restaurantes na zona.
O Estado Líquiido, para quem gosta - como eu, que adoro - de comida japonesa, podendo escolher o tradicional ou o fusion e ainda o Sofisticato, restaurante com três áreas distintas muito bem conseguido, apesar de gastronomicamente não ter uma boa relação qualidade-preço.
E para terminar uma sugestão de praia: a praia da Ursa, perto de sintra. Podem lá encontrar em pleno mês de Agosto umas 20 a 30 pessoas, porque tem o inconveniente de levar cerca de 25 minutos a lá chegar a pé e outros tantos ou mais a subir para sair. Mas é uma praia linda.. e para quem gosta de nudismo, também dá.
Estamos em tempo de descontracção e de férias... eu só a partir de 15 de Agosto :(

quinta-feira, julho 10, 2008

Mais uma vez... amigos

O meu grande amigo Miguel comentou:
"Em relação aos amigos é preciso talvez fazer uma actualização e verificar quais são realmente os grandes amigos. Penso, às vezes, que os amigos são grandes e verdadeiros, num periodo de tempo, e isso é que é importante. Amigos para sempre, pode acontecer ou não, mas provavelmente não é o mais importante. Ideias...."
Gostei desta ideia de temporalidade da Amizade e concordo que muitas vezes assim é, na medida em que num dado momento há uma conjugação de interesses, gostos e motivações que aproximam as pessoas e que depois num dado momento desaparece. Parece-me que isso acontece principalmente numa relação amorosa !
Mas se bem que a ideia do Miguel seja verdadeira em alguns casos, sinto que há Amizades duma vida e que apesar das distâncias e dos reveses da vida, perduram e fortalecem.
Mas é de reflectir no comentário do Miguel ... e a propósito, entre amigos não se agradecem gestos ou acções, mas apenas se retribuem de volta quando necessário.
Pelos vistos, este tema da Amizade é recorrente, tavez pela sua importância.
Bem mais complicadas são as relações amorosas pelos seus encontros e desencontros, pelos corpos de dor de cada um, que ao se encontrarem, se vão alimentando mutuamente, com o seu potencial de dor e destruição, a menos que saibamos "contrariar" essas emoções individuais e colectivas pela tomada de consciência desse mesmo corpo de dor. Talvez aquilo que o budismo chama iluminação, sirva para nos conhecermos como realmente somos e consiguirmos reestruturar a nossa mente, sem registos negativos e sem a constante pressão do nosso ego.
Mas isto já é assunto para divagações posteriores... agora vamos ao trabalho ( parece que não, mas eu trabalho bastante!)

quarta-feira, julho 09, 2008

Novas ( velhas ) Amizades

Apenas mais um pequeno apontamento.. é simultaneamente estranho e fantástico rever certas pessoas que não viamos há muito tempo e sentir que na prática nunca estivemos verdadeira ausentes e afastados , pois os laços de amizade, quando são verdadeiros, resistem ao tempo e às vissicitudes da vida.
Assim como no outro dia reencontrei ao jantar uma série de "amigos" que não via há uns 7/8 anos e não senti rigorosamente nada em relação a eles ( e antes pelo contrário, lamentei a perda de tempo e de empenho havido na altura ), reencontrei num almoço recente outra série de amigos ( que me marcaram bastante na minha adolescência ) e com os quais continuei a sentir a mesma afinidade que tinha há mais de 20 anos.
É gratificante ter amigos, mas criar empatia e laços que perduram todo este tempo e sentir que nunca tinhamos deixado de conviver, é uma sensação muito agradável, que nos deixa em paz connosco próprios e com a convicção de que, se calhar, temos em nós algo de especial que permite este tipo de união entre as pessoas. E sem querer referir ninguém em particular, é lógico que há certamente pessoas com quem estes laços são mais fortes e com queremos reatar o convívio.
Cá está mais um pequeno exemplo dos tais pequenos gestos de que venho falando, que podem eventualmente mudar uma ínfima coisa, mas que no seu somatório podem transformar grandes coisas.
E este reatar amizades e convívios perdidos e agora achados, é um pequeno gesto nesse sentido
Cumprir o tal gesto de boa vontade, dizer aos que nos rodeiam que os estimamos e amamos, pode modificar um grão de areia e se conseguirmos mudar muitos grãos de areia, alteramos para melhor a praia e assim sucessivamente.
E talvez consigamos transformar este Mundo em que vivemos melhor e mais belo.
Eu tenho essa ideia e esse sonho

Inveja

Que inveja dos meus amigos Catanas... de férias em Rodes e nós aqui a trabalhar e a levar com este calor todo.
Que estejam a ter umas optimas férias e que a "nossa" ervilhinha esteja a gostar muito da praia e dos muitos banhos do mar que certamente está a ter... e com a boa paparoca da região!
Mas mesmo de férias a Mamâ Su lê o meu blog.. que entusiasta e amiga que eu tenho !
Espero que se lembrem que eu faço colecção de imans para pôr no frigorífico e que não tenho nenhum de Rodes :))
Bjocas grandes às meninas e abração ao Pai Rui ( descansa e descontrai, porque andas um pouco stressado!! )

Feng Shui

Eu pensava que o Feng Shui era uma arte, maneira ou modo de dispôr uma casa segundo determinados parametros, para que houvesse uma harmonia na casa e energias positivas.
E assim a vivência nessa casa se pudesse processar duma forma fluida, límpida e feliz.
Mas descobri um livro que começei a ler - mais um, entre 3 ou 4 livros - e que diz respeito ao Feng Shui corporal. Defendem os orientais que a expressão corporal e facial da pessoa exprime o seu interior e há estudiosos desta matéria, que olha para uma pessoa e apenas pela sua face e postura, conseguem desvendar o seu mundo
Na minha profissão estou habituado a "sentir" os doentes, a sua expressão de agrado ou às vezes de dor e sinto perfeitamente quando "conquistei" uma pessoa ou se pelo contrário, não a consegui alcançar.
Mas esta técnica é muitissimo completa, porque nos fornece uma série de indicaçãos interessantissimas acerca das pessoas... a forma das sobracelhas, do nariz, da boca, a sua harmonia ou desarmonia, a interrelação entre eles, a posição das mãos e ainda outros elementos que são estudados, conseguem ou parecem conseguir dar uma imagem da pessoa que somos ou que temos à nossa frente.
É um tema muito giro, porque até acho que tem validade e lógica, na medida que a expressão facial demonstra sempre os sentimentos, os medos e a percepção da realidade de cada um de nós.
Agora que ando pelo mundo eótérico, vou descobrindo temas e assuntos muito interessantes e que se encarados duma forma séria - e muitos destes livros até são escritos por médicos - dão que pensar e ver que afinal poderá haver mais coisas para além daquelas que a ciência consegue explicar. Esoterismo quer dizer precisamente a apreensão da realidade por métodos não científicos, porque os esotéricos consideram que os métodos científicos actuais não estão conforme a realidade dos nossos dias.
E não se esqueçam da vosso gesto de boa vontade convosco próprio ou de preferência com quem vos rodeia... grão a grão talvez consigamos modificar alguma coisinha

terça-feira, julho 08, 2008



É lindo ver um campo cheio de cerejeiras completamente carregadas.. o tom vermelho das cerejas aliado ao verde das árvores faz um contraste espectacular e que eu nunca tinha visto...
Imaginem que associo esta foto ao meu filho Pedro, porque também ele foi criado, amadureceu e está agora apto a iniciar uma nova fase da sua vida. Ontem estava a olhar para os meus dois filhos e tive um enorme orgulho neles e uma enorme satisfação por ver que são pessoas bem formadas, com educação e, dentro, das suas idades, confiantes nas suas capacidades e valor.
O Pedro vai então iniciar os seus novos estudos em hotelaria. Está super entusiamado e pleno de confiança, enquanto que eu, apesar de estar contente por ele ter conseguido entrar, estou também um pouco apreensivo porque ele vai estar longe, com uma enorme responsabilidade e necessidade de se esforçar e estudar muito. Mas sinto que com as suas capacidades, ele vai conseguir progredir e construir a sua vida duma forma excelente para ele. Assim ele saiba aproveitar o que lhe é proporcionado e siga em frente.
Boa sorte

segunda-feira, julho 07, 2008

Aniversário II

E passou-se este dia do aniversário do meu Pai.
Ao almoço soube muito mais histórias do meu Pai e sobretudo, senti da parte dos seus amigos saudade e uma grande estima por ele, com o elogio da sua personalidade, cultura e grandeza de espírito.
De facto e infelizmente nem todas as pessoas conseguem deixar uma marca tão acentuada como o meu Pai, que marcou e bem, muitas e muitas pessoas, deixando em todas o seu cunho e aqueles que, com ele, privaram mais de perto, têm todas a sua história e o conhecimento particular que ele tinha com cada um.
Ao jantar reuniu-se os filhos ( menos a Patrícia, que está de férias ), os netos e os bisnetos e apesar do restaurante não ter sido compatível com um jantar de homenagem, não deixou de ser bonito ver toda a família reunida nos anos do Pai, Avô e Bisavô.
Todos nós sentiamos a sua falta e todos nós tivemos a sua marca pessoal
Assim foi o primeiro 7 de Julho, na ausência física do meu Pai.
Mas este dia também foi marcado pela excelente notícia que o meu filho Pedro conseguiu ter nota suficiente para ingressar na escola de hotelaria Les Roches em Marbella, iniciando as aulas já no próximo dia 5 de Agosto.
Boa sorte, meu filho e que este curso seja o início da vida que queres ter e que eu desejo para ti.
É sempre a dicotomia dos pólos positivos e negativos, ou seja, a um acontecimento triste alia-se uma nótícia positiva e agradável.

Aniversário

7 de Julho de 2008... aniversário do meu Pai.
Hoje a memória dele está bem mais presente, porque é o dia dele.
Hoje a saudade é ainda maior e a sua ausência mais sentida.
Já lhe teria telefonado e ele ter-me-ia respondido que já não fazia anos e quando é que eu o ia visitar, pois estava sempre a dizer que era raro eu ir a casa dele ( e com razão!).
A última vez que comemoramos o seu aniversário foi quando ele fez 75 anos ( se não estiver enganado), porque não só o seu estado de saúde já não lhe permitia sair de casa, como ele próprio já não queria festejar coisa alguma.
Nessa altura esteve a família toda, incluído o meu Tio Luís e o meu primo Filipe.
Hoje ao almoço, vamos reunir alguns amigos dele, no restaurante onde ele sempre almoçava. A Severa, que fica no bairro alto. Todos os dias, quando estava em Lisboa, ele almoçava na mesma mesa com um grupo de amigos, que variava consoante os dias e disponibilidades. Fui almoçar muitas vezes com ele à Severa e logicamente que hoje me vai custar bastante lá voltar.
Mas devo-lhe isso.
À noite, é o tempo dos filhos, netos e bisnetos se reuniram e lhe prestarem uma homenagem sentida pelos seus 85 anos, que seria a idade que faria hoje.
Meu querido Pai, tu estás sempre connosco e sei que agora nos proteges e acarinhas.
Bem Hajas

domingo, julho 06, 2008

Para ver...

Descobri um blog que fala em causas que valem a pena e que devemos conhecer..
Se alguém me estiver a ler ( e espero que sim ), vejam esse blog, cujo endereço está na minha lista de blogues !
Penso que grande parte do pessimismo que caracteriza os Portugueses, se deve precisamente à falta de causas e de grandes designios a atingir. Quando temos uma meta para alcançar, um objectivo a cumprir ou algo que queremos muito, fazemos tudo o que está ao nosso alcance para o conseguirmos, lutamos até ao fim das nossas forças e acreditamos no impossível para conseguirmos o que queremos.
A força da razão e principalmente a força da emoção é o motor principal da iniciativa humana e só com CAUSAS reais e sentidas, conseguimos, quer a nível individual, quer a nível colectivo, seguirmos em frente e avançarmos no(s) caminho(s) traçado(s).
A minha causa actual - modestíssima - é conseguir que cada um de nós faça o seu pequeno gesto diário para conseguir mudar o mais ínfimo grau de areia do nosso quotidiano e assim lentamente ir alargando este círculo de boa vontade e quem sabe conseguir modificar atitudes e maneiras de estar.
Mas também gostaria que, como País, tivessemos um ou vários designios nacionais, para juntos conseguirmos viabilizar Portugal e nos tornarmos um país dignno, respeitável e próprio para se viver em condições. Falta Coragem e Visão Política e sobretudo Políticos com Carisma para mobilizar todos os Portugueses para uma Causa. Mas uma mobilização positiva e eficaz.
Por exemplo, lembro-me que a independencia de Timor Leste foi uma Causa linda, porque mobilizou a sociedade e até me lembro duma vez termos parado de trabalhar durante 2 ou 3 minutos e virmos para a rua, em sinal de solidariedade com o povo de Timor.
Precisamos agora duma CAUSA nacional e unificadora de todos nós, para mudarmos o nosso país e o tornarmos mais equitativo e justo para os nossos filhos e vindouros.
Não se esqueçam de tomar como uma das nossas causas, o tal pequeno gesto de boa vontade diário !!!

sábado, julho 05, 2008

Fotografias de Hoje da Francisca




Comments


Hoje disseram-me que eu era muito negativista nos meus comentários e apreciações. Na verdade nos meus primórdios de bloguista assim era porque a minha era intenção descrever as agruras que me aconteciam e estórias deste País ( que inicialmente até chamei a saque). mas depois penso que rectifiquei esse aspecto, visto que tem que haver sempre alguma coisa positiva no que nos rodeia e tentei sempre contrapôr situações diversas.

Para além disso, tenho a ideia ( ia a dizer o sonho, mas não me atrevo) de que é possível modificar alguma coisinha se todos nós fizermos um pequeno gesto de boa vontade todos os dias ou quando nos for possível. Sei que é utópico, mas se não tivessemos todos um pouco de idealistas e de utópicos, o mundo seria bem mais triste.

E como estou num processo de reestruturação pessoal, é-me mais fácil ver as coisas pela positiva e desmontar o que eventualmente posso correr mal e tentar positivar essas situações. É bem mais fácil ter essa atitude perante a vida e as muitas e muitas estórias da nossa vida... e se conto algumas cenas do meu quotidiano é também para ver se é possível mudá-las e rectificar alguma coisinha.


Hoje foi o baptizado da Francisca, que é uma menina linda, filha dos meus amigos Sandra e Pedro. tal como o casamento dos Pais, foi um baptizado sui generis.

De qualquer forma, beijinhos à Francisca e aos Pais e aqui fica uma foto ( um pouco desactualizada) da petiza.

Mais uma estória

Tenho tentado não me focar em aspectos negativos deste nosso (pobre) País, mas não posso deixar de contar o que me aconteceu com a Direcção geral de Impostos ...mais uma !
Pois em 2001, as finanças enganaram-se num lançamento duma verba que eu tinha pago ( IRC por conta), tendo lançado esse pagamento como dívida. Ou seja, eu paguei mas para eles eu fiquei a dever.
Como supostamente havia uma dívida, as finanças notificaram-me para efectuar o pagamento, mas as cartas foram para uma antiga morada, que eles não actualizaram e portanto não tive acesso a essas mesmas notificaçõs.
Como assim foi, avançaram com um processo de penhora e neste momento, penhoraram um carro que já não existe... mas a penhora lá está e quando descobrirem que não a podem efectuar naquele veículo, vão certamente buscar outro.
Mas eu NÂO DEVO NADA... e mais, a minha advogada e contabilista já contactaram as finanças uma série de vezes e eles reconhecem o erro, mas não o conseguem parar a nível central. Ou seja, na repartição sabem que o erro é deles e que até me devem dinheiro, mas não conseguem fazer a interface com a central e rectificar o erro, pelo que o processo da penhora continua.
Dado este imbróglio e a conselho da advogada, vou pagar a suposta dívida, para suspender a penhora e os problemas daí inerentes e apresentar nova reclamação ( mais uma!!!) para daqui a não sei quanto tempo ( meses, anos ???) receber o que me é devido.
Pobre País... a prepotencia das finanças sobre os indefesos contribuintes!
Sou o primeiro a pagar todos os meus impostos e exijo que todos façam o mesmo, mas estas situações de erro deveriam ter uma resolução bem mais rápida e equitativa, tanto para um lado quer para o outro. Só assim podemos acreditar no Estado, na Justiça e não só cumprir os nossos deveres, mas também ver satisfeitos os nossos direitos. Ou não vivessemos num estado de Direito.
Duas ressalvas.
Como penso mais depressa do que escrevo é natural que hajam alguns erros de ortografia e de
palavras.
Em relação ao que escrevi acerca das minorias, é lógico que essas mesmas minorias têm todo o direito de se manisfestarem em defesa dos seus direitos, mas sem folclores ou extravagâncias. Foi isso que quis dizer

sexta-feira, julho 04, 2008

Vídeo de Marvão



video


Visitem Marvão porque vale a pena... aqui vai uma amostra !


A minha Amiga Su

A minha amiga Su tem sido desde o primeiro momento uma entusiasta do(s) meu(s) blogue(s) e tem-me dado um enorme apoio.... é a confirmação de que temos de facto AMIGOS verdadeiros e que se interessam connosco.
Pode não ter qualquer importância mas os comentários da Su ao que escrevo diariamente, às minhas emoções e às minhas aventuras, faz-me sentir muito bem e "obriga-me" a escrever mais e melhor.
Aqui está um pequeno gesto que consegue modificar o meu quotidiano... é o tal pequeno grão de areia de que falo e que pode por si só mudar uma ínfima parcela de qualquer coisa. De facto, ficando eu mais bem disposto, fico com mais capacidade para transmitir aos que me rodeiam essa mesmo boa vontade e assim sucessivamente.
É destes peuenos gestos que tenho falado e confesso, que a minha Amiga Su tem sido espectacular nestes pequenos gestos de boa vontade diários.
Apenas te digo que também eu tenho uma enorme estima e Amizade por ti, pelo Rui e claro pela ervilhinha chamada Madalena..

quinta-feira, julho 03, 2008

Cansaço....

Cansaço dum fim de dia ( e quase da semana ) de trabalho !
Porque será que não podemos trabalhar apenas quando temos mesmo vontade e estamos cheios de energia para o fazer ?
Eu nem me posso queixar, pois como sou patrão de mim mesmo, posso gerir os meus horários e até dar-me algumas folgas quando acho que estou a precisar.
Felizmente que não tenho um trabalho por conta de outrém, com horário de entrada e de saída ( se bem que actualmente a hora de saída pareça não existir ) e com um patrão. Com a minha maneira de ser e de estar, não consigo muito obedecer a ordens constantes e por vezes, os patrões têm umas manias estranhas... falo por mim !!
Mas também é complicado gerir o nosso pessoal, com as suas idiossincracias e os seus feitios, E eu tenho que gerir muito bem as personalidades das minhas assistentes, porque senão o dia está muito mal :)
Mas a verdade é que qualquer profissão se torna algo repetitiva ao fim de alguns anos, apesar de eu ter a vantagem de lidar com muita gente e personalidades e além disso, ter vários casos clínicos que me despertam bastante interesse, pela sua diversidade.
Mas o que me vai interessando cada vez mais nos dias que correm, são as pessoas, as suas histórias, as suas vidas, medos e alegrias... e sei muita coisa acerca dos meus doentes, principalmente dos mais antigos. É curioso já estar a tratar a segunda ou terceira geração de alguns dos meus doentes mais antigos, ou seja, os filhos/as ou os netos/as. E assim ir fazendo a quadratura do círculo com estas famílias.
Por vezes, posso não me lembrar do nome, mas lembro-me perfeitamente da sua situação dentária e muitas vezes também da conversa tida na última consulta, mesmo que esta tenha sido há muito tempo. Já me aconteceu um doente ficar extremamente surpreendido por eu lhe ter perguntado por algo que ele me tinha contado cerca de 4 ou 5 anos, última vez que ele lá tinha ido.
Mas estou CANSADO... felizmente que amanhã já é 6ª feira.
Ontem fui jantar ao Estado Líquido Fusion e reencontri colegas e "amigos" que já não via há mais de 7/8 anos e ao falar com eles, ficou-me o vazio desses tempos e a amizade que afinal não existia, como eu sinto agora com os meus amigos.... eram pessoas com quem eu lidava todos os dias e com muitos e muitos projectos em conmum e que de repente, deixaram de fazer parte dio meu quotidiano. Não sei bem porque, mas assim foi.
Agora olhando para trás, vejo que perdi muito tempo com coisas que não valiam nada e com pessoas que também não me trouxeram muita coisa. Porque se assim não fosse, não teriamos deixado de ser amigos e de nos darmos.É a vida e os relacionamentos que vamos tendo.
felizmente que actualmente tenho AMIGOS verdadeiros e que se preocupam tanto comigo, como eu com eles e cuja ausência é muito sentida e de quem tenho saudades. Como eles têm de mim...
Façam o vosso pequeno gesto de boa vontade de forma a modificar nem que seja um grão de areia... grão a grão vamos mudando qualquer coisa e quem sabe, qualquer dia viveremos num mundo melhor. Utopia ??? talvez mas se não tentarmos, então é que nunca saberemos se não poderá ser REALIDADE.

quarta-feira, julho 02, 2008

Conhecimento... ou falta dele !

Hoje vesti uma long sleeve com umas figuras que representam Fernando Pessoa e os seus heterónimos. Confesso que há um deles que me escapa sempre, que é o de Bernardino Soares, mas logicamente que conheço os outros e li algumas coisas - não muitas, devo dizer, deste grande nome da história de Portugal.
Ao chegar ao SAMS, onde trabalho pela manhã, umas assistentes acharam muito gira a sleeve, mas desconheciam que Fernando Pessoa tinha vários heterónimos, que escrevia com os seus vários nomes e a problemática da sua personalidade. E estamos a falar de pessoas com trintas e pouco anos.
Este desconhecimento é, efectivamente, fruto da qualidade do ensino que vamos tendo, ou antes do deficit de ensino deste (pobre) País... não se ensinam os valores da nossa história, não se enaltece o que temos de bom e do que nos podemos orgulhar e as pessoas saem da escola com uma grande falta de conhecimentos e de vontade de aprender.
E depois dizem que não há valorização profissional ou pessoal e que o nosso (pobre) País não progride e que está muito atrasado tecnológicamente e na area dos conhecimentos e não só..
Se na escola não se aprende o que é importante, como a cultura, a língua, as ciências, a matemática, etc como se pode sair preparado para enfrentar o mundo do trabalho e as suas exigências actuais ? Para além de que como se pode adquirir conhecimentos, quando por exemplo uma grande maioria das pessoas não lê um livro ou sequer um jornal.
Há muito que fazer, mas tenhamos esperança de que alguma coisa vai mudar... e isso começa em nós e no nosso mundo. Cada um de nós tem que contribuir para que haja uma modificação.
É o tal pequeno gesto que podemos fazer e transmitir a quem nos rodeia um pouco dos nossos conhecimentos e modo de pensar, ou seja, o nosso know how!
Todos nós podemos aprender com os outros e ensinar aos outros alguma coisa... é o tal pequeno gesto também neste sentido.
E parabéns á minha grande amiga Cláudia... muitas e muitas felicidades pelos seus anitos e que continuemos tão ou mais amigos do que somos. Beijinnho grande

terça-feira, julho 01, 2008

Mais um Dia


Nestes últimos dias, tenho pensado muito no meu Pai, porque se está a aproximar o dia de aniversário do meu Pai.

No dia 7 deste mês faria 83 anos e sinto uma grande saudade da sua presença, apesar de não sermos muito próximos. Agora sinto e sei que ele me marcou imenso e também aos meus irmãos, com a sua personalidade, o seu exemplo e a sua maneira de estar no mundo.
Agora deveria estar muito feliz, porque os seus quatro filhos realizaram um desejo que ele tnha há muito. Que todos nós nos reencontrássemos e nos dessêmos. E felizmente que assim foi.

O meu Pai era um homem intrinsecamente bom, se bem que na sua vivência diária nem sempre conseguisse relacionar-se afectiva e emocionalmente com os que o rodeavam e também com os filhos. Mas também isso era fruto da educação que tinha tido e da influência da minha querida avó eduarda, de quem tenho também muitas saudades e de quem penso muito, apesar de já ter morrido há 26 anos.

Tenho pensado muito nele e quando viajo ainda mais. Porque eu tinha o costume de lhe telefonar a relatar aonde estava e ele, com a sua enorme cultura, acrescentava sempre uma história ou uma informação.

Só o consegui surpreender uma vez quando estava a visitar um museu em Alpedrinha, Sintra, que ele náo conhecia. Mas logo no dia a seguir, me telefonou a contar o que já tinha descoberto acerca desse museu. Era assim o meu Pai...

Tenho muita pena de não termos falado e contactado mais nos seus últimos anos de vida, mas infelizmente assim foi.

Tenho, contudo, agora a certeza que ele me influenciou muito e que de facto a sua herança genética tem uma enorme importãncia, bem como o seu exemplo de vida.

Tenho muitas saudades dele...