quarta-feira, agosto 23, 2017

Felicidade

Hoje acordei com um telefonema do meu amigo MS que respondia a uma chamada que eu lhe tinha feito ontem, já estando ele a dormir. Ainda nos rimos porque ele tocou precisamente num aspecto essencial da minha identidade, que ora está nas ruas da amargura ora está no Olimpo. Ele utilizou uma expressão muito engraçada que não consigo agora reproduzir. 
O curioso é que é mesmo verdade essa grande alternância de humors e de vontade, principalmente se está relacionado com outra pessoa ou qualquer objecto externo, como é o caso. Esta minha dependência doutrem é bastante negativa mas neste processo de enamoramento é, para mim, inevitável. Sobretudo quando não compreendo certas atitudes ou quando as justifico com a minha forma de ser e não com a forma de estar da outra pessoa.
Mas ontem tivemos um jantar maravilhoso em que esclarecemos muita coisa, afirmamos muitas outras e sobretudo parece que chegamos a um turning point irreversível nesta relação que, pelos vistos, já existe e que é desejada por ambos.
Falámos acerca de temperamentos, de personalidades, gostos e feitios, tendo aproveitado para esclarecer acerca do que sou, da minha sensibilidade levada ao extremo pelos meus traumas, medos e fantasmas. 
São sempre conversas extremamente úteis que, quanto a mim, permitem neste momento passar para outro patamar e outra dinâmica da relação e estarmos cada vez mais em sintonia e agradavelmente juntos. É um bom namoro este que vamos tendo... e que, em cada dia se consolida um pouco mais e mais.
Desejo apenas que desta vez seja uma realidade e não apenas a vontade de conquistar, ser desejado e conseguir atingir o que quero; espero que, desta vez, este processo que se desenrola há algum tempo tenha um bom seguimento e sobretudo uma evolução positiva, tranquila e pacífica. Preciso dessa calma e duma relação de que ando há tanto tempo à procura.
Tenho de acreditar em mim mesmo, bem como na outra pessoa que pouco a pouco vai baixando as suas defesas, empenhando-se também cada vez mais, com atitudes, palavras e gestos. E tenho de saber ler nas entrelinhas porque cada pessoa m a sua forma de se exprimir e nem todas conseguem ser claras e objectivas.
Por isso posso dizer que hoje sinto que a FELICIDADE pode ser possível, desde que tudo isto seja cada vez mais uma realidade e uma certeza; sem medos, sem receios, sem traumas do que quer que seja, mas apenas um estar connosco e em nós que somos tudo. 
Com um SORRISO bastante forte, luminoso e muito optimista penso, sinto que entrei numa nova fase da vida, completamente diferente das anteriores pela sua consistência, resiliência e verdade. E assim espero que o seja.



terça-feira, agosto 22, 2017

Dor

Reinicio da análise.... perguntas sem  respostas, dúvidas permanentes, questões internas e externas de sempre, ou seja, o Luis no seu melhor. Um Luis em constante guerra consigo e com os outros, felizmente já percebendo as suas próprias culpas, erros e omissões, bem como as suas obsessões, compulsões e o muito mais que eu trago comigo.
Mais esta angústia permanente, este auto imposto sofrimento que pareço procurar constantemente, como se só conseguisse viver dessa forma e desse jeito. E a falta de respostas internas, pessoais e concretas não é fácil de gerir nem de me criar uma força capaz de vencer este negrume que sinto.
As respostas do AA, a sua conceptualizacão são lógicas, objectivas e estruturadas, mas a verdade é que, no imediato, a sua aplicação é complicada e difícil, tendo todo um trabalho para fazer e para moldar o que devo ser e fazer. Mas será que vale a pena estar aqui e agora para moldar algo que, se calhar, não pode ser talhado ou reconstruído por defeito de origem e por, talvez, ser mesmo impossível transformar aquilo que sou em algo que não faço a mínima ideia. Nem tão,pouco se quero mesmo ser diferente ou se o consigo.
Evidentemente que quero ser diferente, ter menos sofrimento, menos angústias existencialistas e ser capaz de viver comigo e para mim; pensava que já estava nessa fase, mas pelos vistos, bastou um pequeno abanão, um objecto externo novo para que tudo isso fosse posto em causa e  a minha consciência fosse "passear" algures pelo Universo, deixando-me só com a crueza da realidade e deste quotidiano que está a ser bastante doloroso.
A ironia de tudo isto é que já me sentia francamente bem e seguro de mim mesmo, com a vontade de ser independente, de não querer depender de qualquer objecto externo e de encarar as pessoas duma forma mais consciente, realista e verdadeira. Mas os sentimentos vieram baralhar tudo, estremecendo com esta brisa que sopra com intensidade em cima de mim, sem ter a certeza de que existe sintonia no imediato ou no futuro. Penso que essa harmonia chegará se eu conseguir a paz interna, a tranquilidade suficiente para não pressionar, para não ultrapassar limites e respeitar a identidade e o espaço de cada um.
Também preciso de me respeitar, de ter o meu espaço, a minha identidade,  não me "violar" para agradar seja a quem for, seguindo o meu caminho, na minha velocidade ou de preferência de acordo com o resto das pessoas. Mas estando de bem comigo, com aquilo que sou e tenho duma forma sentida e realista. 
Preciso de respostas no imediato, alterar o meu comportamento no aqui e agora, não daqui a muitos anos, se bem que esteja francamente melhor agora do que estava há uns anos, porque pelo menos percebo o que se passa, o que me acontece e até talvez as razões de tudo isso. Sinto um grande peso em cima dos ombros que, com muita dificuldade, consigo suportar e agilizar neste momento.
Queria desaparecer daqui e reaparecer algures no Universo, morrer para reencarnar noutra vida e noutra personagem que não esta da qual estou farto, cansado e desanimado.  Farto mesmo de tudo e de todos mas a querer manter o SORRISO que me pode trazer algum conforto e a tal FELICIDADE que, sinto, nunca alcançarei.

segunda-feira, agosto 21, 2017

Estranho

Ontem, domingo fui pela primeira vez à praia este verão. E na verdade cada vez  gosto menos de praia, da areia, da confusão, se bem que, ontem, até gostei do sítio onde estivemos, dos banhos, da agitação das ondas nas rochas. Mas prefiro de longe piscina, a calma, a limpeza e a a água límpida das piscinas.
Fomos depois ao Mercado da Ribeiro comer alguma coisa e,finalmente, descansar para a minha casa, tendo-me ontem feito particular impressão ter entrado numa casa vazia e aparentemente sem qualquer calor humano.
Dormi mal, agitado, cheio de sonhos e apenas de manha consegui ter um sono reparador e tranquilizador; sinto-me estranho, ausente e ao mesmo tempo sem sabermos muito bem como me devo orientar, organizar, estruturar se bem que sinta que as coisas estão a encaixar nos seus devidos lugares e que as hipóteses são mais do que muitas de que tudo dê certo.
Mas os meus medos, os meus receios, a minha necessidade constante de ser valorizado e reforçado deixam-me muitas vezes assim mesmo, como estou hoje e agora. Uma angústia interior imensa, uma ferida que dói e não se sente, um contentamento descontente, e muitas mais coisas. Sinto que é mesmo isso que me falta, um amor correspondido ou a hipótese de o construir e o ter.
Como me disse no outro dia, uma nova personagem que entrou na minha vida, a AD, Psicologa temos de compreender os diferentes tempos de cada um de nós bem como os desfasamentos que as idades trazem em si mesmo.
Diferentes entendimentos, diferentes formas de estar na vida, concepções de como viver, relacionar-se e estar; é completamente diferente viver nesta época de meios informáticos, meios super rápidos e um pouco ou muito virtuais de comunicação e como era no meu tempo de juventude e adolescência com maior empenho, maior proximidade e conhecimento das pessoas.
Tenho de perceber que pessoas dos trinta, quarentas vivem esta realidade duma forma bem diferente, bem mais interiorizado visto que já nasceram com estas ferramentas e estas realidade, coisa que não me aconteceu. Acho que esta forma de comunicação e de convivência proporciona muita cousa e pode alargar os nossos horizontes, mas sinto que se perde um pouco - ou muito - da relação humana, da intimidade entre as pessoas, dum contacto mais próximo e chegado. Talvez retire algum encanto ao conhecimento humano e à interligação entre as pessoas.
Mas, na verdade, as vantagens serão bem mais do que as desvantagens ou aspectos negativos se bem que haja pessoas demasiadamente "viciadas" nessas formas de comunicação. Mas sendo a realidade que temos, assim devemos adaptar-nos e viver com isso mesmo.
Hoje estou particularmente sensível por motivos, dos quais consigo ter uma noção e uma ideia, mas que tenho necessária e forçosamente de "sair" desta onda negativa, acreditar em mim, saber que sou capaz e ter a força necessária para manter o meu SORRISO constante, duradoura e luminoso bem como encontrar, no meio de mim mesmo, a FELICIDADE que sinto merecer e que quero ter.

domingo, agosto 20, 2017

Outro dia... ontem fomos a um jantar de aniversário na margem sul, em que não me senti completamente à vontade por não conhecer grande parte das pessoas e estar num ambiente diferente sem grande apoio. Mas acabou por correr bem e ainda fomos até ao Palácio Chiado beber champanhe e comer uma tábua de queijos. Espaço agradável, companhia seis estrelas.
Apesar de tudo isto, continua a haver uns timings demasiadamente lentos para mim, que gostaria de algo mais consistente, mais empenhado e de maior confiança, mas a verdade é que me sinto bem neste status quo, que vai evoluindo e consolidando em cada dia. Sinto que, em breve, haverá de ambas as partes a certeza do que queremos e como queremos. Assim o espero.
Hoje o programa é, como tem sido sempre, algo fluido, começando com um bom pequeno almoço, um pouco de praia e depois quem sabe o que surgirá a seguir... como já escrevi algures, os melhores momentos surgem muitas vezes nestes inesperados e nestes "não" programas combinados com antecedência. A fluidez da vida permite este "laissez faire" que vai consolidando o que temos e na direcção que desejamos.
Sinto que tenho de fazer alguns ajustes na minha maneira de estar e de ser, bem como na forma como lido com os outros, sem me deixar "dominar" e sem cair numa dependência que, sei, já está a acontecer. Pelo menos, estou num registo de verdade e de não estar a jogar com ninguém, sem planos alternativos ou qualquer outro tipo das minhas habituais manobras. E estou a gostar disso mesmo.
Quero ter a FELICIDADE a meu lado, bem como conseguir ter um SORRISO verdadeiro, luminoso e sincero, ao contrário do que me diziz uma pessoa que fez parte recente da minha vida e que me disse que tudo isto era falso e negativo.
Felizmente que acredito cada vez mais em mim, na minha força e capacidade de lutar, pelo que sei e tenho a certeza de que vou vencer com um enorme SORRISO.

sábado, agosto 19, 2017

Apaixonado

Será que vou conseguir reconstruir a minha vida, duma forma estável, positiva e intrinsecamente verdadeira ? Neste momento é o que mais desejo e preciso, para me sentir efectiva e afectivamente bem comigo e com o mundo, pelo que espero mesmo ter encontrado, desta vez, a pessoa certa, na altura certa.
Tudo tem corrido muito bem, sem pressas, sem precipitações nem tempestades em tempo algum; pelo contrário e para os meus timings até tem tudo corrido muito lenta e calmamente. Está a ser completamente diferente de tudo o que me tem acontecido até hoje, com um pacifismo e um controle bastante, um deixar fluir, um construir tijolo a tijole e sobretudo uma grande satisfação interior e a sensação de FELICIDADE.
Espero que neste dia a dia que vou tendo, tudo se consolide, se afirme positivamente para que, desta vez, seja algo real, positivo e presente na minha vida durante muito e muito tempo. Ando necessitado de calma e de tranquilidade, mas mais do que isso quero sentir-me em paz, cortar com hábitos antigos, romper mentiras, infidelidades e ter uma relação completa, satisfatória e plena.
Quero estar - e penso que estou - preparado para mais uma etapa importante da minha vida, em que quero ser eu mesmo, sem subterfúgios, planos alternativos ou seja o que for que possa minar a relação que quero saudável, positiva e tranquilizadora.
Ontem foi um dia calmo, tranquilo com SAMS e consultório, com poucas consultas mas agradáveis e seguidas, tendo depois vindo para casa tratar do jantar e de descansar antes desse mesmo jantar que nos reuniu nuns momentos muito agradáveis.
É bom sentir-me uma vez mais apaixonado, duma forma diferente, mais consciente e calma, duma forma reflectida servindo-me das memórias, afastando os meus medos e as minhas compulsões e obsessões, aprendendo a respeitar o espaço individual e intimo de cada um de nós bem como a ter confiança em mim mesmo e no outro. É bom estar apaixonado e ver o mundo cor de rosa e diferente, mas sobretudo revivendo sensações há muito esquecidas.
Quero que o meu SORRISO seja, hoje e agora, bem mais forte, luminoso e intenso para que possa ter a FELICIDADE que acho merecer duma forma duradoura e tranquilizadora. Quero que todo o mundo saiba e constate este meu estado de FELICIDADE.

sexta-feira, agosto 18, 2017

Surpresas

Já tinha referido ou escrito que o inesperado do momento, as surpresas do quotidiano, a interligação das pessoas são factores que dão muito colorido à vida, prazer e FELICIDADE. Ou seja, quando não temos ilusões, quando as nossas expectativas são baixas e limitadas, quando nem sequer pensamos no que pode ser ou deixar de ser conseguimos desfrutar mais e melhor do momento. 
E quando a tudo isto se junta a naturalidade das pessoas, amizades que vão crescendo, bem como uma paixão que vai aumentando e consolidando, desejando que, finalmente, tenha encontrado a pessoa com quem quero estar agora e sempre.
 Ainda não sei bem em que ponto da situação estamos, mas acredito, sinto que ontem foi dado mais um passo na direcção certa, naquilo que quero mesmo é preciso para me estruturar e organizar duma forma certa, correcta e positiva.
Tive então um jantar em casa dum amigo muito recente, que estava delicioso, bem engendrado e organizado. Com um requinte fácil e simples de alguém que sabe o que é bom, que está habituado a receber e que o faz com uma grande naturalidade.
Foi uma noite super divertida, muito animada, cheia de planos e de ideias, de projectos de viagem, de conversa fluida, bem como de degustar novos sabores desconhecidos para mim, como seja o doce da jaca e de cajú. Simplesmente fantásticos. 
Apesar de ter dormido pouco, agitado e com muitos sonhos pelo meio, cá estou no meu posto de trabalho seguindo-se o consultorio, bem como uma aula de Padel e a entrada no fim de semana que não faço a mínima ideia do que farei. Mas que também não me preocupa de forma alguma.
Quero e espero ter a minha vida organizado o mais rapidamente possível, sabendo com que posso contar, o que se pode ou não fazer, adaptando-me aos horários, à vida e aos hábitos doutra pessoa que é um dos meus objectivos actuais, a par duma estabilidade interna e duma procura constante da minha FELICIDADE, sempre com a certeza de que o meu SORRISO pode crescer, aumentar e ser cada vez mais brilhante e luminoso.

quinta-feira, agosto 17, 2017

Medos

Mais um dia de trabalho... mais um dia com alguma angústia, muita neura e um enorme muro diante de mim que não consigo ultrapassar nem sequer definir formas de o fazer.
Uma vez mais completamente amorfo, disperso e sem um rumo definido ou seguro por onde devo ir e, sobretudo, o que devo fazer. Sobretudo porque há certas coisas que não dependem apenas de mim e outras que não sei mesmo como resolver.
Interrogo-me de novo acerca do significado da vida, do que estamos mesmo aqui a fazer e se vale a pena cá estarmos para termos uma vida cheia de coisa alguma e apenas de alguns momentos melhores. De resto é uma luta constante para aqui estarmos, muitas vezes sem saber muito bem a finalidade de tudo isto.
Neste momento sinto como se estivesse a pagar por tudo aquilo que fiz de errado ao longo da vida, estando a ser cobrado disso tudo e de muito mais, sem ter Ainda a estrutura e a força necessárias para dar a volta e perceber completamente as coisas. Ou seja, preciso absolutamente de sair deste registo, encontrar uma "nova" aplicação para estar e me sentir bem, realizado e conseguir ter alguma FELICIDADE. Que talvez Ainda mereça ou não ??
O mês de Agosto é sempre complicado, fraco e difícil de gerir e Ainda mais este ano porque os meses anteriores também o têm sido duma forma persistente e continua; o panorama geral é cada vez pior e mais assustador, porque os consultórios nascem e proliferam como cogumelos selvagens e é impossível praticar certos preços que vejo por aí. Mas vamos fazendo pela vida....
Que mais posso escrever, comentar ou reflectir se não tenho grandes ou pequenas coisas que me fazem estar bem, descontraído e relaxado da forma que eu gostaria. Percebo que, apesar de estar a compreender-me cada vez melhor, com um raciocínio analítico e correcto - como me dizeram ontem - falta-me afecto, alguém que compartilhe comigo a vida, que me faça olhar diferente para esta mesma realidade que tenho,  transformando este cinzentismo actual em algo de brilhante e de bonito.
Preciso disso, desse glamour da vida, desses sonhos para alcançar e realizar, de ter objectivos, planos para me poder sentir vivo, útil e que os anos que me restam Ainda valem a pena ser vividos e desfrutados. Caso contrário, interrogo-me do que estarei mesmo a fazer por aqui agora e neste momento.
Tento ter ou manter o meu SORRISO, com a plena consciência de que muitas vezes esse mesmo SORRISO está bem fechado, opaco e triste mas não desisti Ainda de ter a FELICIDADE comigo e com a minha vida.
PS: sinto que uma das minhas grandes conflitualidades no momento é querer viver algo de verdade e ao mesmo tempo, e contraditoriamente, tentar organizar outros planos e programas. Que já não estou a conseguir fazer nem concretizar por estar entregue apenas a um determinado objectivo neste momento. Ilusão para ter uma desilusão ???
O tempo o dirá e determinará o futuro... assim eu tenha a consciência do que devo fazer e como devo proceder.
PSS: não gosto de estar magoado com as pessoas de quem gosto.

quarta-feira, agosto 16, 2017

Recomeço

Começo de época.... as férias acabaram, o trabalho começa e a angústia permanece. Percebo as razões, sei, talvez, as causas mas, infelizmente, não sei a resolução destes problemas, pelo menos a breve trecho. O que me preocupa bastante
Ontem foi um dia simplesmente terrível de angústia, ansiedade e alguma escuridão; fui "apanhado" pelos meus fantasmas, medos e receios duma forma imensa e bastante intensa. Não quero mais estes momentos tão intensos, nem este sofrimento que só me leva a ter de novo pensamentos muito negativos e desgastantes.
Identifico as causas, percebo parte dos motivos mas não me consigo concentrar na resolução e aceitação de tudo isto. Até parece que gosto de estar neste sofrimento em que me vou lentamente afundando e permanecendo. 
Tenho de dar a voltar, colocar-me noutro plano, seguir o meu caminho e não a sombra seja de quem for, recentrar-me nos meus objectivos,estar de bem e em paz comigo mesmo. Senão as soluções são limitadas e pouco positivas, Pelo que tenho/devo mesmo de me orientar doutra maneira, doutra forma para que consiga viver em tranquilidade e em paz.
Sinto falta de muita coisa, de afectos, de carinhos, de companheirismo, de estar comigo e com outra pessoa, bem como de me sentir envolvido num clima de Amor, Carinho, paixão e confiança. E quero que tudo isso seja com uma pessoa, num clima de verdade, de tranquilidade e de muita compreensão.
Como já me fizeram hoje, o meu tempo é necessariamente diferente do tempo de outras pessoas, com menos idade ou menos vivência, mas a verdade é que cada um de nós tem a sua forma de estar e de se identificar com a realidade e com o quotidiano, tendo eu particular dificuldade em adaptar-me convenientemente a este novo mundo e realidades. Sinto que esse é mesmo o meu caminho.
Um grande SORRISO, que tem andado bem pouco luminoso e fraco mas sempre com a vontade de que a FELICIDADE esteja no meu caminho e em breve.



terça-feira, agosto 15, 2017

Angústia

Dia de angústia.... por motivos vários e diversos, mas sobretudo uma imensa angústia interior e uma ansiedade do tamanho do mundo. Sei as razões, bem como também sei que nada faz sentido, nem nada está em conformidade com aquilo que, aparentemente, quero. E saberei eu realmente aquilo que quero ??
Hoje estou particularmente vulnerável, sensível e bastante ansioso... tenho de saber exactamente o que quero e como quero, seguir um caminho plano, recto e sem curvas, mentiras ou seja o que for. Concentrar-me no que é importante e esquecer tudo o resto porque, efectivamente, nada vale a pena sem sermos nós próprios.
Penso muitas vezes que cheguei ao fim da estrada, em que na minha frente só tenho um muro alto e compacto, que não consigo saltar nem ultrapassar; e fico aí parado, absorto e ansioso porque o caminho acabou desta forma. E que posso ou devo fazer para ultrapassar este obstáculo, que é o corolário duma vida cheia de coisas boas mas também de muita coisa estranha, incongruente e anormal.
Quero sair desta angústia, mas não sei como nem como será possível alterar seja o que for, visto que estou preso nas minhas ansiedades, nas minhas angústias e nas minhas "cenas" do costume. Estou, sinto-me brutalmente cansado.
Um SORRISO muito abalado sem qualquer sinal de FELICIDADE neste dia 15 de Agosto, feriado religioso em que não vejo muitas saídas nem caminhos viáveis.

segunda-feira, agosto 14, 2017

Outro Dia

Dos últimos dias de férias desta temporada, tranquilo e na minha casa, mas ao mesmo tempo com muitas actividades, conhecimentos e evolução em algo que talvez se possa transformar muito especial. Pelo menos assim o desejo e espero.
Gostava efectivamente de estar noutra onda, noutro caminho, totalmente diferente do seguido até aqui, mas para isso, preciso não só de estar bem comigo mesmo e com a minha pessoa, como também de encontrar, de alguma forma, alguém com quem me sinta mesmo bem, partilhe os mesmos gostos e cujas afinidades sejam reais. Vamos ver como correm os próximos tempos...
Já falei na diferença dos meus timings, na forma como encaro os factos e a realidade da vida, pelo que, neste momento, é fundamental saber relaxar neste trajecto, respeitando o espaço e o tempo de cada um. Apenas assim conseguirei perceber efectivamente como estou ou estamos em sintonia. 
Um grande SORRISO neste dia em que se vai passear sem destino certo, à procura de algo chamado FELICIDADE que, talvez, esteja bem mais perto de mim do que eu possa imaginar. Assim tenha a arte e o engenho para a concretizar.

domingo, agosto 13, 2017

Culinárias e Pessoas

Ontem mais um jantar bem sucedido - cogumelos salteados com natas, camembert gratinado, pernil com arroz e feijão preto, terminando com uma deliciosa mousse de manga. Tudo confecionado por mim e sinceramente acho que estou a cozinhar cada vez melhor e com mais vontade. Adoro estar na cozinha assim como adoro ver a reacção das pessoas ao que vou servindo.  E felizmente todos gostaram, comeu-se muitíssimo bem e bebeu-se ainda melhor.
Também houve conversas interessantes, assuntos que estão pendentes e vão sendo esclarecidos, sentimentos e sensações que se tem, que se sentem e que devem ser integrados e entranhados. Estou novamente numa encruzilhada da vida sem saber muito bem o que fazer, como fazer e conseguir estar tranquilo e pacificamente comigo mesmo.
Hoje estou meio pensativo por nada de especial mas apenas porque nem sempre os meus timings estão em consonância com os dos outros e, parece, que não sei reagir a essas diferenças. Acho que está intimamente relacionado com todo o meu passado, toda a minha falta de maturidade e de nunca ter percebido que cada pessoa tem a sua intimidade e a sua esfera pessoal.
É fundamental perceber a dinâmica das pessoas, a sua identidade própria e não observar tudo apenas pelo meu prima ou unilateralmente. Há sempre várias explicações para uma mesma realidade, nunca me devendo deixar levar pelas minhas reacções primárias. Tentar sempre perceber o enquadramento, pensar bem nas coisas, interpretar e entranhar as diferentes opções existentes.
Assim não havendo ilusões também não haverá desilusões nem tristezas porque está tudo bem claro e assente desde o principio, pelo que é bastante mais fácil lidar com muitas das situações que me vão aparecendo, apesar de ainda sentir alguma angústia perante determinados factos, acontecimentos ou reacções de pessoas. Mas estou a aprender cada vez mais depressa a controlar esses meus instintos básicos e primários.
Hoje estou a descansar, a pensar na vida, a reflectir  acerca deste momento presente, na resolução de certos assuntos pendentes e problemas existentes porque gostava de entrar no novo ano duma forma bem mais estruturada e positiva. Até lá pode ser que haja grandes ou pequenas mudanças que me permitam ter sempre um SORRISO forte e luminoso neste meu caminho em busca da FELICIDADE.





























































































sábado, agosto 12, 2017

Sábado

Ontem fui jantar com dois dos meus melhores e mais antigos amigos. Sempre presentes, sempre atentos unindo-nos uma Amizade que dura e perdura, intensificando-se cada vez mais, ao contrário de outras que se vão perdendo pelos caminhos da vida e pelo desinteresse das pessoas. 
Tudo tem o seu tempo e a sua oportunidade e, evidentemente, que o que ontem era uma realidade já poderá não o ser hoje assim como o amanhã será com certeza diferente do hoje, porque as circunstancias mudam, as pessoas alteram-se e ainda porque a vida tem o seu ritmo próprio e irreversível.
Acredito, sinto que tudo na vida tem um sentido, oportunidades, um tempo certo, janelas que se fecham e outras que se abrem, sendo a missão de cada um de nós saber aproveitar o que existe, o que surge e o que vamos tendo. É no fundo viver a vida o melhor que soubermos.
Ontem ao jantar, divertidíssimo, também se falou de assuntos sérios; acho curioso a preocupação destes meus amigos com o meu estado inconstante e até meio maluco, tendo-me aconselhado a fazer uma psicologia cognitiva-comportamental e suspender durante um tempo a minha psicanalise. Sinto que, neste momento, preciso de respostas que a psicanalise não me está a dar, bem como preciso de orientações diferentes e mais imediatas. E essa terapia comportamental é mesmo dirigida para o agora e já. Vou marcar uma consulta com uma psicóloga que me foi indicada e logo resolvo.
Para além de que em termos financeiros é bastante mais barato  e económico. Vou ter de tomar uma decisão muito brevemente.
Quanto a tudo o resto, continuo nesta espécie de banho maria, em que acredito que tudo se vai encaminhando no sentido que quero, por pequenos sinais, indicações variadas mas sem ter nada concretizado ou organizado, o que para mim me faz um pouco de confusão. Mas tenho de ter calma, segurança e optimismo, bem como não estar sôfrego de coisa alguma. Estar liberto, em tranquilidade comigo e com os outros, não precipitar nada e estar bem na minha casa, a desfrutar o meu ambiente e o  meu canto.
Hoje vou dar um jantar cá em casa, para uma apresentação de pessoas e uma melhor integração entre todos, porque, para mim, é bastante importante esta interligação das pessoas de quem gosto e quero estar. Já conheci algumas pessoas novas e amigas de que gostei bastante e agora é a minha vez de apresentar dois dos meus melhores amigos. Sinto e acho que tudo está a caminhar no bom sentido se bem que a velocidade a que se vai não seja totalmente a que eu gostaria. Mas talvez seja a correcta.
Tenho estado muito bem nestes dias de férias, em que desfruto da minha casa, faço o que quero, tenho a liberdade de estar com quem quero, sem ter ainda obrigações ou seja o que for, bem como descansando e relaxando tudo aquilo que posso.
Ontem fomos ainda tomar um copo, ao bar do costume que estava cheio... principalmente turistas e estrangeiros que continuam a encher a nossa cidade. por um lado é bastante positivo e fantástico mas por outro lado às vezes parece que nós é que somos estrangeiros por sermos quase os únicos portugueses. A cidade de Lisboa está completamente tomada de assalto pelos turistas seja onde for, pelo que espero que a partir de setembro esta febre passe um pouco para recuperarmos o controlo da nossa querida e bonita cidade.
Um grande SORRISO, esperando que ao desfrutar destes dias, desta minha tranquilidade consiga alcançar o que quero com FELICIDADE e ALEGRIA, na certeza de que são as pequenas coisas na vida que nos podem proporcionar esses mesmos sentimentos.


sexta-feira, agosto 11, 2017

De Férias

De férias... é bom estarmos de férias e pela primeira vez passa-las na nossa própria casa. É diferente, é acolhedor e sobretudo dá para conciliar uma série de coisas. Desde descansar, estar com amigos, cozinhar, organizar jantares, ler e ver séries. E aproveitar verdadeiramente a minha casa...
Ontem fui ver o pôr do sol nas Azenhas do Mar, programa simples mas fantástico pela companhia, pelo espaço e pela beleza natural do sol a pôr-se pelo mar, projectando os seus raios. Lindo, romântico e simples. São, talvez, momentos destes que nos podem deixar com uma grande leveza na alma, encontrando a FELICIDADE nestas pequenas coisas.
Ando a entranhar algumas coisas novas para mim, como a respeitar os timings das outras pessoas, o seu espaço individual, a sua personalidade, tentando que as minhas atitudes não sejam como assaltos de carros de combate, mas antes como aproximações suaves e fluidas. Ao pressionar, ao "massacrar" constantemente, ao querer tudo para ontem posso, simplesmente, afastar as pessoas que me interessam e não conseguir ultrapassar a superficialidade de ambas as partes.
A vida tem vários percursos, vários trilhos e possibilidades, cabendo a cada um de nós seguir o que julga ser melhor e mais positivo, no sentido de estarmos bem connosco próprios, termos um SORRISO cheio, forte e luminoso para que a FELICIDADE possa estar connosco
PS: acho que estou apaixonado... 


quinta-feira, agosto 10, 2017

Férias

De férias.... pela primeira vez na vida estou de férias em minha casa, porque houve um desentendimento de datas e acabei por não ir para o algarve. Para o ano quero ter umas férias completamente diferentes, algures no mundo, integrado num grupo e com praia, cultura e divertimento. Mas sobretudo depender apenas de mim  e em simultâneo estar acompanhado. 
Talvez vá até  a Asia ou Brasil, mas não em Agosto, mas sim em Junho... ou então fazer o tal percurso pelos Balcãs. Espero já ter companhia nessa altura...
Neste momento, estou bastante empenhado numa pessoa que me parece bastante recta, empreendedora, livre, com um negócio próprio com quem tenho saído algumas vezes, tendo um entendimento bastante positivo e fluido.
Quanto aos meus ditos amigos, tirando a excepção do meu grande e sempre fiel amigo MS, tudo o resto parece ter desaparecido da face da Terra, tal o interesse que se tem. Felizmente que o meu círculo se tem alargado bastante e posso ir estando com quem me apetece, conhecer melhor quem quero e ainda me ir divertindo. Estão a ser uma férias bem diferentes mas, apesar de tudo, agradáveis.
Vou pensando na vida, nas muitas pessoas que têm passado por ela, algumas muito importantes, outras efémeras e muito passageiras, mas todas elas com um papel no meu percurso, com lições de vida e, duma maneira ou doutra, influenciado o meu caminho, percurso e forma de estar e pensar.
São, provavelmente, muitas e muitas centenas de pessoas que tenho conhecido e se juntar todos os anos em que dei aulas, devo chegar aos milhares, então se somarmos os doentes certamente que atingirei esses valores. É muita gente mesmo com quem me tenho cruzado, tenho interagido e convivido, recordando muitas delas e outras nem sequer me lembrando o nome ou quem foram. Mas a verdade é que tenho muitas estórias para contar, muitos episódios engraçados e uma narrativa de vida engraçada. E com um know how imenso
Quero continuar a ter um percurso de vida positivo, ir conhecendo cada vez mais e mais pessoas ( desde que valham a pena), descobrir novos locais, novas culturas e novas formas de estar na vida... quero ainda gozar a vida por muitos e bons anos. Não muitos, mas alguns.
E com um SORRISO aqui fico nesta descoberta da FELICIDADE que é feita de pequenas coisas e pequenas descobertas do dia a dia. e não de grandes feitos ou acontecimentos


quarta-feira, agosto 09, 2017

Diversos

Dia diferente... de férias em casa porque acabei por não ir para o algarve por motivos que não interessam nada mesmo. Fui às compras e para além de ter estado a cozinhar - para um jantar com um amigo - também bebi quase uma garrafa dum bom vinho do Dão. Estou, por isso, animado e satisfeito com a vida.
Acho que posso ter, eventualmente, "descoberto" alguém que pode fazer a diferença na minha vida, mas preciso ter calma, sabedoria e consciência para esperar e para que os timings coincidam... não querer tudo para ontem mas sim ter a paciencia de respeitar a esfera de cada um.
Como disse, fui às compras que é algo que me dá bastante prazer, bem como estive a cozinhar e a fazer pratos que nunca tinha feito e que espero saiam bem, porque quero que o jantar corra muito bem.
Estou a tomar algumas decisões acerca da minha situação financeira para resolver alguns problemas no imediato e ficar mais liberto neste momento; começo a pensar que tenho de me libertar de muita coisa e ficar mais tranquilo pata poder gozar melhor a vida.
Há algo que tenho mesmo de rectificar e de perceber que é o facto dos outros estarem ocupados e terem o seu espaço e a sua vida organizada duma determinada maneira que nem sempre permite estar livre para se poder responder ou estar disponível. Nem toda a gente é patrão de si mesmo.
Quanto aos meus "ditos" amigos, muitos andam desaparecidos, de ferias ou simplesmente ausentes, assim  como eu também ando ausente e sem vontade de grandes conversas. Sinceramente sinto que muita coisa mudou e que nada será mais como era ou foi no passado. E tenho pena ter chegado a esta fase da minha vida e constatar que tudo muda e que eu próprio não sei o que fazer ou o que sentir.
Sinto-me um pouco perdido neste mar de sentimentos em que vou conhecendo muita gente, umas que têm alguma importância - ou poderão vir a ter - e outras que vão passando por mim e pela minha vida sem saber exactamente até onde tudo irá ou qual a real importância destas pessoas ou acontecimentos.
Vou ficar por Lisboa, prometendo a mim mesmo que, para o ano, irei fazer tudo diferente... vou organizar as férias duma forma em que não dependa de ninguém, esperando já ter alguém com quem partilhar estes mesmos momentos de lazer. Assim o desejo e quero. Na verdade, estas alturas são as que mais sinto a falta da minha cara metade, que tive durante toda a vida e que agora, infelizmente, não tenho nem sei bem quando terei. Se bem que , talvez, neste momento as perspectivas sejam bastante melhores do que eram há umas semanas atrás
E como bebi já quase uma garrafa de vinho, vou meditar um pouco - ou seja, dormir - para estar em condições daqui a pouco para o jantar, com um grande SORRISO e a certeza de que a FELICIDADE está connosco e para ficar

terça-feira, agosto 08, 2017

Regresso

Já em casa depois duma boa viagem, sem percalços nem quaisquer problemas. Tudo correu bem e apesar do percalço dos bilhetes e do meu destino final, aqui estou em casa. Viagem demorada e cheia de espera em Viena, mas compensou por ter vindo num A330 que fez a inveja dos maluquinhos dos aviões que conheço.
Foram dias de descoberta, de conhecimento, de interiorização e de reflexão, para agora, em Portugal, poder dar corpo a tudo isto e seguir o que pensei nestes dias; infelizmente como não depende apenas de mim terei de esperar também pela atitude e pela reacção doutras pessoas e do que pensam e querem.
Hoje vou resolver umas quantas coisas, arrumar o que trouxe das férias, organizar o que quero levar para o algarve e seguir em frente com o que tenho de fazer. É a vida  que nem sempre é como queremos ou desejamos. 
Não sei bem como me sinto ou como estou porque, na verdade, continuo a criar ilusões que depois se transformam em desilusões e em enganos, uns mais dolorosos do que outros. A verdade é que não posso querer que os outros pensem ou sintam como eu próprio ou que façam o que eu quero, mas sim que sigam as suas vontades e as suas consciências.
Não sei muito bem o que devo fazer, a não ser que tenho de estar calmo, utilizar as minhas memórias e a minha inteligência para estar neste meu quotidiano o melhor possível e o mais conscientemente possível. Tenho de saber ser paciente e resguardar-me de desilusões e de tudo o que possa provocar sofrimento ou dor.
Estou como costumo ficar quando venho de férias, ou seja, com alguma nostalgia, alguma sensibilidade acrescida, algum vazio interno e também cansado desta busca de coisa alguma e de nada em concreto que não encontro ou não encontro da forma que quero.
Tudo é estranho nesta fase e complicado em que tenho alguns problemas para resolver, sem saber muito bem como o fazer, mas com a certeza de que tudo terá de continuar a correr desta forma, sem sobressaltos ou complicações. Devo a partir de agora nivelar a minha vida pelas condições actuais e viver de acordo com as minhas possibilidades.
Um grande SORRISO ou pelo menos o SORRISO possível neste meu regresso a terras lusas numa procura da FELICIDADE que quero ter e encontrar o mais rapidamente possível.

segunda-feira, agosto 07, 2017

Bulgaria.. at the end

Fim de viagem... no aeroporto de Sofia, um aeroporto pequeno sem grandes complicações. Mas, como já me dizeram, perder-me-ia muito mais facilmente no metro ou noutro transporte público em Lisboa do que em qualquer aeroporto. E talvez seja verdade.
Por causa dum erro meu ou da e-dreams que que me dava Bucareste como destino final, terei que recolher a bagagem em Viena e reentrar no aeroporto. Já tenho o check-in feito e em três/quatro horas terei mais que tempo. Serve de lição para, no futuro, confirmar os voos, as cidades de origem e de destino. É a primeira vê que tal me acontece mas, curiosamente, estou absolutamente tranquilo e relaxado.
Nestes pequenos pormenores constato a minha grande diferença em relação a um passado relativamente recente em que tudo isto me deixaria à beira dum ataque de nervos, desorientado, stressado e nervoso. Agora tudo é normal, tudo pode acontecer bem como tudo se resolve.
Como corolário desta semana búlgara, posso dizer que já  me oriento muitíssimo bem nestas andanças, consigo estruturar e organizar o que quero fazer, visitar, passear e descobrir tudo aquilo que deve ser descoberto.
Na verdade, e cada vez mais tenho essa certeza, tudo está de tal forma padronizado, rotinado que, onde quer que estejamos, é bem fácil estar algures como se fosse no nosso país. Lembro-me de quando começar a viajar nos anos de 1970s tudo era tão diferente, tão complicado e a esta distância penso como era possível viajar nessas condições. 
Os sistemas informáticos, os check-ins, as refeições a bordo e Ainda a chegada a mundos novos, inexistentes em Portugal. A primeira vez que fui a Paris, fiquei simplesmente maravilha ao descobrir um mundo cheio de coisas estranhas, multinacionais, uma vivência completamente fora da minha rotina, filmes estranhíssimos - e com a MB tive de sair dum filme por me sentir envergonhado e muito estranho - monumentos fantásticos e tudo o que, agora, é normalissimo, rotineiro e dentro do que já estamos acostumados.
Ou seja, neste mundo global movemo-nos e andamos por toda a parte com uma facilidade e uma dextreza imensa que se não fosse a ameaça do terrorismo seria quase como apanhar um autocarro e ir dum lado para o outro sem qualquer problema.
Mas em relação a Sofia, posso dizer que é uma cidade muito agradável, Pequena nas suas dimensões, mas muito bem cuidada e organizada. 
Não tem uma grande monumentalidade mas todo o Centro é bonito e vale a pena visitar; Plovdiv, a segunda cidade  deste País também merece uma visita, bem como,  e é obrigatório, o mosteiro de Rila que me marcou duma maneira enorme e fantástica. Imaginar a vida de mais de 300 monges naquele lugar fez- me lembrar o Nome da Rosa e todo o imaginário que tenho dessa vivência.
Agora é altura de regressar, voltar à normalidade, seguir o meu caminho, procurar a minha Felicidade duma forma simples e concreta, seja a minha FELICIDADE afectiva e pessoal, quer a profissional, com a consciência de que são estes pequenos momentos que, com o nosso SORRISO, nos podem fazer sentir diferentes, melhores e gratos por  estarmos vivos. 
 Terminando pergunto se um dos nossos objectivos de vida não é mesmo este adquirir de conhecimentos, este crescimento interior, este amadurecimento que vamos tendo e que senti no tal mosteiro de Rila, e bem mais do que no outro mosteiro que também visitei, visto que tudo isto faz com que possamos ser melhores pessoas, mais úteis e principalmente que o nosso SORRISO possa estar directamente associado à nossa FELICIDADE. 

domingo, agosto 06, 2017

Momentos

Estes dias têm sido muito bons... ontem foi o mosteiro de Rila, que me deixou completamente encantado e cheio de vontade de lá passar mais tempo ou mesmo de lá ficar a pernoitar. Pareceu-me um lugar cheio de magia, de encanto e de histórias mil. Justificou a viagem, os quilómetros feitos e resume duma forma excelente a história deste País. Foi um dos momentos altos da viagem.
Chegados a Sofia, foi descansar para, depois dum bom banho, sair para jantar no "meu" restaurante Raffy, onde se come muito bem, com um ambiente excelente, um lugar muito in e barato, como a maior parte da restauração neste País.
Ontem fui sair à noite, a uma disco... a escolha não foi difícil por ser a u I a ou pelo menos a mais conhecido e a mais bem localizado, só abrindo ao fim de semana e custando 5 levs ( dois euros e meio) a entrada... uma fortuna.
Encheu completamente, houve um show muito engraçado e ao fim de algum tempo foi para o hotel como tinha entrado na dita disco, ou seja, sozinho. 
Hoje dormi até tarde, tendo saído para dar uma volta por locais Ainda pouco vistos, tendo descoberto uma série de "momentos" muito engraçados, galerias de arte com quadros e esculturas interessantes e sobretudo espaços diferentes desta cidade que me surpreendeu pela positiva. Os locais não são muito simpáticos ou calorosos mas também com o historial que têm deve ser normal como acontece  noutros países da Europa Central e ex repúblicas da Cortina de Ferro.
Para finalizar vou fazer um "comunist tour" para ver como era a vida nessa altura... espero que valha o sacrifício por causa do calor imenso que está. Também o está no meu País com muita gente na praia e a divertir-se. Quero chegar a Lisboa e resolver alguns assuntos pendentes nos quais tenho pensado, esperando, desta vez, conseguir estabilizar-me.
Um grande SORRISO neste meu último dia de Sofia, tendo cada vez mais a certeza de que a FELICIDADE está nas nossas mãos e no que soubermos fazer. Muitas vezes pequenos nadas fazem essa mesma FELICIDADE como tenho sentido muitas vezes ao longo da minha vida.

sábado, agosto 05, 2017

Bulgaria

Mais um dia dedicado a visitar dois monumentos, património da Humanidade. O mosteiro de Rila e a igreja de Boyana, que ficam perto de Sofia e que era o que me faltava visitar de mais importante nesta fase. 
Ontem fui para a noite de Sofia que se limita, para a nossa identidade, a um bar e a uma discoteca e nada mais. O espaço não é nada de especial mas é onde se podem encontrar muitas pessoas, algumas giras, mas dum modo geral sem nada de especial. Também é onde se encontram muitos e muitos estrangeiros que por aqui andam.
Durante o dia pouco fiz porque me enganei com o horário dum tour que queria fazer - o tour "comunista"  - onde certamente passaríamos pelos principais locais respeitantes a este período da ocupação entre 1945 e 1989. Fá-lo-ei amanhã.
Assim estive a fazer algumas compras de souvenirs para levar e mais tarde recordar. 
Depois estive simplesmente a ler e a dormir durante o resto do tempo porque, sinceramente, precisava de recuperar energias e fez-me muitíssimo bem.
E hoje cá vemos neste tour de 8 horas de duração, percebendo agora a grande diferença de preços destes tours.
Neste pagamos apenas o shuttle, tendo de comprar os bilhetes das entradas e esperar pela nossa vez, enquanto que nos outros está tudo incluído e até temos informações do guia que, até à data, Ainda não disse nada de nada.
Tenho pensado na vida, nas pessoas, nos factos, acontecimentos e realidades da vida sabendo que tenho, devo, fazer algumas alterações na minha vida, na minha forma de   "estar e de consumir. Adequar o momento presente às circunstâncias do momento sem extravagâncias, nem viver acima das minhas possibilidades actuais.
E que quero da minha vida neste momento sem ser mesmo encontrar a FELICIDADE dum SORRISO interior, mas também nas muitas pessoas que vou encontrando por estes momentos da minha vida. 



sexta-feira, agosto 04, 2017

Bulgaria

Mais um dia nesta cidade, em que o calor é imenso estando a descobrir recantos, momentos e pessoas. É uma cidade pequena, de fácil orientação, agradável para se estar e penso que para viver. 
Sinto-me cansado, bastante cansado, talvez pelo calor, talvez porque efectivamente têm sido tempos complicados e difíceis, necessitando de descansar, de me ausentar de muita coisa, de me perceber cada vez melhor e saber estar comigo, como tenho estado nestes dias.
Gostava de, neste momento, ter algumas certezas que, algumas, não dependem apenas de. Mim, mas de outras pessoas que também têm a sua opinião, vontade e sentimentos. Sinceramente gostava de ter chegado ao fim dum certo percurso para poder ficar mais tranquilo, ter alguém em quem confiar, com quem estar e relaxar. Bem como ter alguém para viajar, sair, beber um copo, descobrir um restaurante e tudo o mais que gosto e de que sinto falta.
Nestes dias de férias e como de costume, sinto-me bastante longe de tudo, pensando em muita coisa, em muitas pessoas duma forma difusa e longigua, na certeza de que muita coisa estará na mesma e algumas outras poderão ser diferentes ou pensadas ou sentidas doutra forma. Tenho algumas saudades da minha casa, do meu quotidiano, das pessoas com quem tenho estado e convivido. 
Também tenho algumas saudades doutros tempos e de algumas pessoas que fizeram parte desses mesmos tempos, mas que, neste momento, estão noutros comprimentos de onda e nas suas vidas, onde muitas vezes parece que não estou incluído ou não o quero estar. Essa é, ou talvez seja, a verdade.
Repito que para o ano as férias serão doutra maneira e doutra forma; quero ver se não serão em Agosto mas sim numa altura menos quente e mais tranquila, porque começo a não gostar desta altura para férias.
Mas tudo dependerá de como estiver, de com que estiver e de como estará o meu SORRISO e a minha FELICIDADE. Espero que, nessa altura, tenha recuperado muito da minha vida afectiva.

quinta-feira, agosto 03, 2017

Religiões

Hoje é dia de religiões e de mercados... visita da mesquita e da sinagoga. A mesquita é   Normal sem nada de especial, enquanto a mesquita já é mais imponente, mais "requintada. Sempre que viajo, procuro ver os diferentes locais de culto das principais religiões, pensando sempre nas razões que levam estas religiões, ou as pessoas, a estarem de costas voltadas umas contra as outras.
Pela história deste País, a maioria das pessoas é ortodoxa, seguindo-se os muçulmanos - descendentes dos que aqui viveram durante o império otomano - os católicos e os judeus. Mas a maioria são cristãos ortodoxos, cuja igreja tem, em cada oaís, o seu próprio patriarca não havendo um único superior como na igreja romana. 
As igrejas são profusamente decoradas, com muitos dourados, muitas imagens e ícones, tendo já assistido a uma celebração religiosa. 
Depois foi a vez dos mercados; muitos legumes, muitas frutas e completa ausência de Peixe ou de carne, que deve ser vendido algures. Muitos autóctones nas compras mas nada de especial. 
Hoje estou particularmente cansado e com necessidade de descansar pelo que programei um dia tranquilo, sem grandes voltas mas apenas passeios curtos, visitas breves e descontraídas para que nos próximos dias possa estar mais descansado e dar Ainda umas voltas que quero dar. Também este calor em nada ajuda a ficarmos mais descansados.
Para o ano vou fazer totalmente diferente, ficando por Portugal por este tempo e saindo/viajando em Maio/Junho para onde quer que seja. Talvez pelos Balcãs com o Lubomil, o meu guia da cidade. Vamos ver como correm os próximos meses...
E por agora me fico, com um grande SORRISO na certeza de que, cada vez mais, gosto de viaje e que a FELICIDADE também está nestes momentos em que descobrimos novos lugares e novas pessoas.



quarta-feira, agosto 02, 2017

Sofia

Outro dia de calor em Sofia.... hoje comecei com uma visita cultural da cidade, que incluiu parte de pequeno almoço local, de que não gostei. Visitámos um pequeno museu - e há muitos pequenos museus nesta cidade - de artesanato e de tradições búlgaras, seguimos para uma casa de chá onde provámos um chá de rosas e um doce das mesmas. A Bulgária é um dos maiores produtores e exportadores de rosas da Europa, que são utilizadas para chás, doces e Ainda para produtos cosméticos, atingindo preços altíssimos. 
Acabámos num jardim a aprender folclore búlgaro e a beber a aguardente típica e fortíssima.... fiquei quase sem fôlego. Uma manhã muito bem passada com uma guia muito divertida e um grupo bastante europeu e cosmopolita.
A maior parte dos turistas no ano passado foram espanhóis  e italianos e no ano anterior norte-americanos. Claro que os japoneses estão em toda a parte... mas há também muitos holandeses, alguns sul americanos e uma mescla de nacionalidades não tendo encontrado Ainda nenhum português, mas já um brasileiro aqui a trabalhar.
Como a cidade é pequena da para a ir visitando calma e tranquilamente porque bastariam uns 5 dias para a ficar a conhecer. Como estarei mais tenho que "esticando" as visitas para aproveitar bem; mas também como me sinto cansado, estou a aproveitar para descansar bastante, dormir, ler e relaxar. 
Para o ano vou fazer diferente, tendo já o contacto dum guia que faz passeios pelos Balcãs, com tudo organizado ou então farei uma excursão mais organizado para poder ter mais companhia ou o preferível é já ter uma companhia própria e única, o que talvez esteja em vias de acontecer. Mas tudo a seu tempo...
Agora, depois duma boa pizza, vou continuar o programa que hoje consta do Palácio Nacional de  Cultura, seus jardins e áreas circundantes, antes de ir fazer a sesta. Quero ver se a caminho do hotel - e da sesta - consigo comprar bilhetes para a ópera que se vai realizar este fim de semana e que gostaria de ver. Vamos ver....
Ontem jantei magnificamente bem nesta grande rua pedonal onde também estou a almoçar. Comi pratos típicos e bebi uma excelente sangria branca que me deixou muitíssimo bem disposto e satisfeito comigo mesmo e com a vida. São momentos em que estou comigo mesmo a pensar na vida e no muito que passei e se passa.
Um grande SORRISO cheio de luz, calor e optimismo com a certeza de que a FELICIDADE também está nestas pequenas/ grandes conquistas que vou fazendo.
PS: porque será que nestas andanças Ainda dou por mim a pensar ou a falar com alguém que fez parte da minha vida, com quem viajei muito e bastante ? Será o inconsciente a falar, a força do hábito ou os tais "ciúmes" de que me falavam no outro dia.

terça-feira, agosto 01, 2017

Bulgaria

From Plovdiv and the Bachkovo monastery a big Smile. Very tired

segunda-feira, julho 31, 2017

Sofia

Primeiro dia em Sofia.... comecei com uma visita guiada pela cidade para ficar a conhecer os meandros da mesma.
Fiquei muitíssimo bem localizado, perto da maior catedral ortodoxa de Sofia, apesar do pequeno almoço não ser nada famoso, mas não se pode ter tudo. 
O guia foi excelente tendo ficado com uma ideia muito boa da historia deste país, bem como de toda a cidade, de que fiquei com uma vista geral muito boa. Tem uma série de ruínas romanas muito bem conservadas, sendo o nome Serdica, como os romanas chamavam a esta cidade, tendo então derivado para Sofia.
Foi dominado pelo império otomano durante cinco séculos e apenas ficou independente nos finais do século XIX - tendo tido uma monarquia - para em 1945 se tornar parte dos países da cortina de derrota de que se libertou em 1989 e desde então democracia plena, integração na NATO e na União Europeia.
Quanto ao passeio, foi pelo centro, catedral, parlamento, sede do governo e da presidência, com passagem por uma das igrejas romanas mais antigas, Bem como pelas ditas ruínas que já descrevi. Também estivemos na maior rua pedonal da cidade, cheia de movimento, restaurantes, lojas e onde se encontra toda a gente.
Pelo caminho fui anotando muitos outros sítios que terei de visitar e conhecer desta cidade que não sendo espectacular merece ser visitada. Amanhã vou à segunda maior cidade do país com o guia de hoje.
Agora vou fazer outro passeio a pé para ficar a conhecer melhor a cidade e o que tenho de ver Ainda.
Fica um grande SORRISO de Sofia, com a certeza de que viajar nos pode trazer FELICIDADE sobretudo quando o fazemos acompanhados, o que não é o caso.



domingo, julho 30, 2017

A caminho

No aeroporto a caminho de SOFIA... ou eu não viajo há muito ou o aeroporto sofreu uma enorme remodelação no entretanto. Está mais bonito, mais estruturado e rápido, sem qualquer stress ou impedimento.
Durante o percurso vou ler alguma coisa acerca do País para onde vou, o que devo e tenho de visitar e a história do mesmo; como já disse, agora não antecipo o que vou fazer, para que possa desfrutar e aproveitar melhor e como deve ser o destino onde estou e que visito.
Quero e desejo que tudo corra o melhor possível, na certeza de que a vida é feita destes pequenos momentos que nos dão FELICIDADE e que com um SORRISO nos fazem estar bem com a vida.
PS: no destino escreverei algo mais.

sábado, julho 29, 2017

De Partida

De partida... amanhã por esta hora estarei já algures na Europa em transito para o meu destino final, Sofia. Começo agora a entranhar a viagem, estando a preparar-me minimamente para o que quero fazer e ver.
Ao contrário do que acontecia há uns anos em que, obsessivamente, escrutinava tudo e vivia duma forma intensa e por antecipação aquilo que iria ver e assim perdia o encanto e a vivência do momento, neste momento e desde há uns tempos que não vejo grande coisa e espero chegar ao destino para ver in loco o que esse mesmo local pode oferecer.
Assim consigo estar muito mais atento às coisas, desfrutar de tudo e sentir realmente que estou a descobrir tudo o que houver para ser descoberto.
Ontem aconteceu-me algo que nunca me tinha acontecido; ao fazer o check-in online, verifiquei que a viagem de regresso me levaria a Bucareste em vez de me trazer para Lisboa. Fiquei siderado e completamente espantado. Ao tentar corrigir o que acho que foi um erro informático, logo encontrei uma barreira de impossibilidades e de uma enorme rigidez que me levou a ter de comprar um novo bilhete. 
Agora o problema existente é que parece que a minha mala irá parár a Bucareste e não ao meu destino final, que é Lisboa. Vamos ver como tudo se vai resolver... e continuo de telefone na mão à espera de ser atendido e resolver esta questão.
Mas no meio disto tudo estou a tentar este mesmo voo e aproveitar para ir mesmo a Bucareste e estar lá um dia, dar um passeio e voltar então para Lisboa e daqui para o Algarve.
E vou ficar por aqui, tentando mudanças e vendo o que é possível, com o mesmo SORRISO de sempre, na expectativa de encontrar a FELICIDADE por estes dias


sexta-feira, julho 28, 2017

Balanço

Quase, quase de férias.... mais umas horitas e em liberdade total por mais de quinze dias em que vou aproveitar para relaxar, meditar, reflectir e também ver coisas novas, descobrir uma nova cultura, um novo povo, novos hábitos e Ainda estar comigo mesmo.
Gosto de fazer uma espécie de balanço nesta altura do ano, como que um estado da nação da minha pessoa; foi mais um ano que se foi cumprindo, com um percurso diferente do habitual em termos de amadurecimento e crescimento interior, bem como uma crescente auto confiança, auto-estima e consciencialização da minha pessoa e identidade. 
No plano afectivo tudo na mesma, a mesma confusão aparente, algumas paixões súbitas e rápidas, que assim como começam logo acabam por falta de cumplicidade, de companheirismo e de interesse. Contraditoriamente sinto-me bem sozinho, mas também quero um companheiro que tem de satisfazer alguns requisitos e muito em comum comigo. 
Mas o cerne da questão neste momento é tentar construir uma identidade e um personagem na qual me sinta bem, com as características positivas e saudáveis que vou encontrando em mim, com uma crescente auto confiança, auto estima e vontade de crescer cada vez mais nesta minha caminhada pela vida. E ainda não cometer os mesmos erros feitos num passado recente, bem recente porque há um ano apenas estava completamente embrulhado numa situação incrível, duma forma que não quero mesmo repetir.
Profissionalmente sinto que estou numa situação instável por não ter um espaço próprio mas que, enquanto não tiver que alterar ou fazer o que quer que seja, vou-me mantendo por aqui e desta forma. À espera duma reforma que nunca mais chega e dum tipo diferente de posicionamento, com menos horas de trabalho e mais descanso, pelo que preciso de estabilizar a minha saúde financeira.
Interessa-me neste momento encontrar um objectivo para a vida que ainda tenho pela frente, tentar que a FELICIDADE faça cada vez mais parte integrante da minha vida e da minha pessoa, sempre acompanhado dum SORRISO forte, cheio e luminoso. Tudo isto será possível com uma harmonia pessoal, profissional e afectiva.